Terapia laser em baixa intensidade em pacientes portadores da Síndrome de Ardência Bucal: estudo randomizado e controlado [thesis]

Vivian Diane Pellegrini
Julgamento:_______________________Assinatura:__________________________ AGRADECIMENTOS ESPECIAIS Aos meus pais, Heitor e Izabel, por toda dedicação, ensinamentos, valores de respeito e ética passados e principalmente, o esforço feito pela educação minha e dos meus irmãos. Aos meus irmãos, Marcelo, Evandro e Heitor (Juninho), também um pouco pais, pela amizade, por todo tipo de ajuda e pela convivência harmoniosa. Vocês são um belo a ser seguido. Ao meu namorado, Leonardo, pela imensa paciência
more » ... a imensa paciência durante todos esses anos de estudo, apoio, dedicação, amor e confiança depositados em mim. Te amo infinitamente. Às minhas cunhadas, Rose, Sônia e Valquíria, obrigada por todo incentivo. Ao meu orientador, Prof. Dr. Norberto Nobuo Sugaya, fonte de infinita sabedoria e humildade, pela confiança, amizade, sempre fazendo questão de nos ensinar além do que vimos. À Érica, por ter executado este estudo, com imensa responsabilidade e dedicação. Serei eternamente grata. Galletta, Érica e Ingrid, pela amizade e alegria que sempre tivemos em todos os momentos, mesmo nos mais difíceis. À Simone Kawabata, por sempre me motivar para que eu ingressasse na pósgraduação. AGRADECIMENTOS Ao meu orientador Prof. Dr. Norberto Nobuo Sugaya, que soube nortear brilhantemente este estudo. À Érica Fernanda Patrício da Silva, pela dedicação a este trabalho, como se fosse o seu. À Dra Ilka Tiemy, Kato, mãe biológica deste projeto, inicialmente, pela confiança e disposição em amparar sempre que solicitada. Ao Dr. Renato Araújo Prates, pela imensa ajuda na compreensão da ação do laser em baixa intensidade e empréstimo do equipamento Ao Centro de Lasers e Aplicações do Instituto de Energia Nuclear (IPEN) pela consultoria prestada. À Ana Clara Hermógenes Costa pelas avaliações psicológicas, nos possibilitando uma ampliação do horizonte, com este envolvimento multidisciplinar. Aos pacientes que se submeteram a este estudo voluntariamente, sem garantia alguma de sucesso terapêutico. Ao Professor Titular da Disciplina de Estomatologia Clínica, Dante Antônio Migliare, por permitir o meu ingresso no programa de pós-graduação. Aos demais professores da disciplina de Estomatologia Clínica, Profa Andréa, Prof. Celso, Prof. Fábio, Prof. Jayro por todas as dúvidas esclarecidas e apoio na construção desta dissertação. Aos alunos e ex-alunos de pós-graduação, estagiários, alunos de iniciação científica e monitores pela boa convivência e indicação dos pacientes. Ao Grupo de Bioestatística da FOUSP, Dra Ilka Tiemy Kato e Dr. Renato Araújo Prates pelo auxílio prestado nas análises estatísticas deste trabalho. Às secretárias do Departamento de Estomatologia (Cecília, Nina e Cida) pela colaboração em todos os processos administrativos da pós-graduação, mas principalmente pela alegre convivência. À disciplina de Clínica Integrada por ceder o consultório para as irradiações. À FAPESP pelo auxílio financeiro concedido, possibilitando a execução desta pesquisa. À Capes pela bolsa cedida e apoio durante estes anos de trabalho. "Eu nunca guardei rebanhos Mas é como se os guardasse Minha alma é como um pastor, Conhece o vento e o sol, E anda pela mão das estações A seguir e a olhar (...)" II "Sinto me nascido a cada momento Para eterna novidade do mundo... (..) Eu não tenho filosofia, tenho sentidos Se falo da natureza, não é porque eu saiba o que ela é, Mas porque a amo, e amo-a por isso Por que quem ama, nunca sabe o que ama, Nem sabe porque ama, nem o que é amar Amar é a eterna inocência E a única inocência é não pensar... (..) V Há metafísica bastante em não pensar em nada(...) O mistério das cousas?(..) O único mistério, é haver quem pense no mistério IX Sou um guardador de rebanhos O rebanho é o meus pensamentos E os meus pensamentos são todos sensações. O Guardador de Rebanhos-Alberto Caeiro (heterônimo de Fernando Pessoa) RESUMO Pellegrini VD. Terapia laser em baixa intensidade em pacientes portadores da Síndrome de Ardência Bucal: estudo randomizado e controlado [dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo, Faculdade de Odontologia; 2010. A Síndrome de Ardência Bucal (SAB) é uma condição de etiologia ainda desconhecida, caracterizada por ardência em mucosa oral na ausência de qualquer sinal clínico, cujo tratamento ainda é insatisfatório. O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia terapêutica do laser em baixa intensidade para pacientes SAB, por meio de estudo controlado e randomizado. Vinte e três pacientes acometidos pela SAB atenderam aos critérios de inclusão, cumpriram o protocolo estabelecido e tiveram seus dados tabulados e analisados. Fizeram parte da avaliação inicial dos pacientes, exame clínico estomatológico completo, sialometria, exames hematológicos e avaliação psicológica voltada à identificação da qualidade de vida e de sinais de depressão. Constituíram-se dois grupos experimentais, que receberam quatro irradiações, duas por semana, de laser em baixa intensidade -grupo Laser, ou de falsa irradiação -grupo Placebo. O aparelho usado foi um laser em baixa intensidade (Quantum, EccoFibras, Campinas-Brasil) de AsGaAl, emitindo 790 nm e com 120 mW de potência. As irradiações foram realizadas na forma de varredura, nas áreas de mucosa acometidas pelo sintoma de ardência, fornecendo uma dose de 6 J/cm 2 . Os pacientes foram alocados entre os grupos segundo programa de randomização por computador, sendo mantidos cegos quanto ao tipo de irradiação recebida (laser ou placebo). Os resultados foram coletados por pesquisadora auxiliar, que não teve conhecimento do tipo de irradiação efetuada, por meio de escala visual analógica (VAS) e escala de percepção global (EPG). A pesquisadora principal não teve acesso aos resultados, antes do término do estudo. Os pacientes foram avaliados ao início do estudo, em cada um dos quatro tempos de irradiação e aos 7, 14, 30, 60 e 90 dias após a última irradiação. Os pacientes foram categorizados, de acordo com seu percentual de sintoma, ao final do último controle: sem ardência (S.A)-0% de sintomatologia, ótimo (O)-1% a 25%, bom (B)-26%-50%, regular (R)-51%-75%, inalterado (I)-76-100% e piora (P)-valores superiores a 100%. A análise estatística apontou uma melhor resposta no grupo Laser (p=0,03; Teste Exato de Fisher). Concluiu-se que a terapia com laser em baixa intensidade, segundo o protocolo utilizado neste estudo, produz benefício aos pacientes portadores da síndrome de ardência bucal, sem apresentar qualquer efeito colateral indesejável, sugerindo o aprofundamento da pesquisa nesse campo. Palavras Chave: Síndrome de Ardência Bucal. Laserterapia. Glossodinia. Laser em baixa intensidade ABSTRACT Pellegrini VD. Low Level Light Therapy in Burning Mouth Syndrome patients: randomized and controlled trial [dissertation]. São Paulo: Universidade de São Paulo, Faculdade de Odontologia; 2010. Burning Mouth Syndrome (BMS) is a condition of unknown etiology, characterized by a burning sensation in the oral mucosa in the absence of any clinical sign, which treatment is still unsatisfactory. The aim of this study was to evaluate the effectiveness of low intensity laser therapy for SAB patients, through a randomized controlled clinical trial. Twenty-three patients affected by SAB met the inclusion criteria, complied with the established protocol and had their data analyzed. Patients' initial evaluation comprised a complete clinical examination, unstimulated salivary flow, hematological examination and psychological assessment focused on identifying the quality of life and signs of depression. Two experimental patients' groups were constituted: a Laser group and a Placebo group, which received four irradiations, two per week, of low intensity laser or false irradiation, respectively. The laser device utilized was a low intensity laser (Quantum, EccoFibras, Campinas, Brazil) GaAlAs, emitting 790 nm with120 mW of power. The irradiations were performed scanning the areas of mucosa affected by the burning sensation, delivering a dose of 6 J/cm2. Patients were allocated among the groups with the aid of a randomization computer program. Patients were kept blind to the type of radiation received (laser or placebo). The results were obtained by a researcher assistant, who was unaware of the type of irradiation effected, by means of a visual analogue scale (VAS) and a global perception scale (EPG). The principal investigator had access to the results only at the end of the study. Patients were evaluated at baseline in each of the four times of irradiation and at 7, 14, 30, 60 and 90 days after the last irradiation. Patients were categorized according to their percentage of symptom at the end of last control: no burning (SA) -0% of symptoms, optimal (O) - 1% to 25%, good (B) -26% -50 %, regular (R) -51% -75%, unchanged (I) -76-100%, and worsening (P) -values exceeding 100%. Statistical analysis showed a better response in the laser group (p = 0.03, Fisher's exact test). It was concluded that low intensity laser therapy, according to the protocol applied in this study, produces benefit to patients with burning mouth syndrome, without any undesirable side effect, suggesting further research in this field.
doi:10.11606/d.23.2010.tde-22122010-115220 fatcat:mv47e3gnqvgdtb5wjnk5gpzezm