CARACTERIZANDO OS GOVERNOS "PÓS-NEOLIBERAIS" LATINO-AMERICANOS

Gonzalo Rojas
unpublished
RESUMO O objetivo deste trabalho é realizar um debate no campo da teoria política que permita uma análise dos processos políticos latino-americanos focando as articulações entre classes sociais, frações de classe e bloco no poder nos governos "pós-neoliberais latino americanos. Os governos de quatro países durante o período denominado "pós-neoliberal": Argentina nas presidências dos Kirchner, Brasil na de Lula, Bolívia na de Morales e Venezuela na de Chávez. Entendemos rupturas e continuidades
more » ... m relação ao período anterior e comparar. Usamos conceitos para entender as relações entre classes, frações de classes, governo e Estado que caracterizam de forma especifica cada um destes governos e suas inter-relações com o imperialismo. Utilizaremos hipóteses para caracterizar estes governos. Palavras-chave: Latino-America, Estado, crises, governos "pòs-neoliberais" e processos politicos. INTRODUÇÃO Este trabalho faz parte de uma pesquisa em andamento sobre os governos "pós-neoliberais" na América Latina e se bem em particular corresponde fundamentalmente a parte teórica da mesma tem conseqüências na análise dos processos políticos estudados, já que pretende a partir desta discussão melhorar as hipóteses sobre a caracterização destes. A "nova" situação política na América Latina, que leva já mais de uma década, se deve a diversos conflitos que o próprio modelo neoliberal gerou e iniciou indagações e debates sobre o caráter desses governos, sendo que sua emergência ocorre em uma conjuntura de crises econômicas e políticas. Os governos de quatro países durante o período denominado "pós-neoliberal" serviram como exemplos: Argentina nas presidências dos Kirchner, Brasil na de Lula, Bolívia na de Morales e Venezuela na de Chávez. O objetivo geral deste trabalho é realizar um debate no campo da teoria política que permita uma melhor análise dos processos políticos focando em conceitos como populismo, bonapartismo e democracia. A partir de nossa interpretação do XVIII Brumário de Luis Bonaparte de Marx e a diferenciação gramsciana entre bonapartismo e cesarismo problematizaremos as abordagens de Poulantzas e
fatcat:e5zpxihhd5g5dgvqhdv2nue4eq