OS PRINCÍPIOS LIBERAIS E O PROBLEMA DA SUJEIÇÃO FEMININA The Liberals Principles and the Subjection of Women Problem

Everton Miguel, Puhl Maciel
2014 unpublished
Resumo: O presente trabalho busca mapear os elementos principiológicos utilizados pelo filósofo utilitarista inglês John Stuart Mill em defesa do problema da sujeição feminina. O autor estabeleceu princípios fato-valorativos da estrutura liberal inerente à revolução industrial do século XIX para desenhar o início político-filosófico do feminismo contemporâneo. O resultado do processo, mesmo que tardio, se reflete até hoje e a discussão se mantém atual, especialmente no que se refere à inserção
more » ... refere à inserção da mulher nos ambientes institucionais. Palavras-chave: Liberalismo; utilitarismo; feminismo. Abstract: This paper seeks research the principles used by the english utilitarian philosopher John Stuart Mill in defense of the problem of woman subjection. The author established fact-evaluative principles inherent in the industrial revolution of the nineteenth century liberal framework to draw the political-philosophical beginning of contemporary feminism. Even later, the result of the process is reflected today and remains present discussion, especially with regard to the inclusion of women in institutional environments. Keyworks: Liberalism, utilitarianism, feminism. John Stuart Mill não se preocupou apenas em apontar a submissão escravocrata de um sexo frente ao outro, ainda buscou compreender como a exigência da obediência vinha acompanhada de uma perturbável reclamação por afeição. No coração do séc. XIX, as mudanças econômicas e urbanas da revolução industrial foram apenas lentamente acompanhadas por mudanças culturais. Com a abolição definitiva da escravidão na França e nas suas colônias 2 , foram as mulheres inglesas quem primeiro compreenderam a importância humanitária de acabar com o trabalho escravo nas colônias que a Europa mantinha na América e nas Índias. Diferente daquilo genericamente apontado por grande parte dos responsáveis pela confecção dos livros didáticos de História no Brasil 3 , não foi apenas um interesse capitalista comercial vago que motivou o fim da escravidão no nosso país em 1888. Donas de casa e confeiteiras inglesas, motivadas pelas posições abolicionistas da rainha Vitória e pela posição liberal 1 Doutorando em Filosofia pela PUCRS. 2 Em 1794, a Declaração dos Direitos do Homem o do Cidadão foi colocada em prática acabando com a escravidão Em 1802, Napoleão restituiu legalmente a prática. Apenas em 1948 a abolição definitiva foi aplicada. 3 FRANCISCO; CANHA, 2006, p.83-95.
fatcat:pfjwceulvzhvxm3u55xuvsvf4i