Segunda opinião especializada educacional no telessaúde brasil: uma revisão

Edna Zakrzevski Padilha, Fabrício Rutz da Silva Silva, F. S. Pontes
2013 Publicatio UEPG Ciencias Biologicas e da Saude  
RESUMO Este artigo explora a utilização da Telessaúde em relação às ações de segunda opinião especializada educacional no Brasil. As Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) estão sendo aproveitadas por toda a sociedade, e há um interesse crescente nas formas como elas podem ser usadas para atender e apoiar a saúde dos pacientes e as necessidades das comunidades. O objetivo da revisão da literatura foi de buscar as informações disponíveis a partir de pesquisas publicadas nas principais
more » ... s nas principais bases de dados eletrônicas (Lilacs, PubMed/Medline, Scielo) com especial referência para as ações de segunda opinião especializada educacional. A evidência sugere que as ações contribuíram principalmente para a descentralização do atendimento, garantindo maior abrangência e acesso à saúde em lugares mais distantes. Palavras-chave: Telessaúde. Segunda opinião especializada educacional. Brasil ABSTRACT This paper explores the use of telehealth in relation to the actions of the specialized formative second opinion in Brazil. Information and Communication Technologies (ICT) are being harnessed throughout society, and there is a growing interest in the ways in which they can be used to meet and support patients' health needs in the community. The aim of the literature review was to gather the information available from published research in the main electronic databases (Lilacs, PubMed/Medline, Scielo) with special reference to the actions of the specialized formative second opinion. The evidence suggests that actions contributed mainly to the decentralization of services ensuring greater access to health coverage in distant places. Introdução Através de uma observação diagnóstica da realidade, percebe-se que o Sistema Único de Saúde -SUS não consegue uma resolubilidade para todos os problemas de saúde dos pacientes que necessitam de atendimento na rede de atenção básica. Portanto, o SUS está dividido hierarquicamente para prestar atendimentos em níveis primários, secundários e terciários, sendo que muitos pacientes são encaminhados para centros de referência. A demanda por atendimentos mais complexos tem feito com que haja demora no agendamento dos procedimentos necessários e consequente demora no tratamento de saúde. O país possui um território grande com uma população relativamente dispersa, em regiões
doi:10.5212/publ.biologicas.v.19i1.0005 fatcat:4g62p3h3gbhijiw2muaelkyxvm