Estimulação e desenvolvimento da criatividade

Argentina Rosas
1992 Psicologia: Ciência e Profissão  
C ada vez que me detenho neste assunto (1) , mais claro se torna para mim a contradição: de um lado, uma desesperada ne¬ cessidade de comportamentos criativos, para a sociedade enfrentar com êxito os desafios que lhe são impostos e para assegurar sua sobrevivência (2) ; por outro lado, a mesma sociedade não favorece o desenvolvimento criativo dos seus membros em geral e, de modo particular, dos superdotados. No mínimo, deixa-os entregues à própria sorte. E, por vezes, penaliza-os... por serem
more » ... lentosos. De fato, a sociedade é mais bloqueadora da criatividade do que uma de suas fontes de estimulação. No bojo desta contradição, a sociedade ao tempo em que inibe o desenvolvimento do potencial dos seus membros, solicita e até mesmo cobra deles, nos momentos de crise, um desempenho criativo. Família, Escola, Trabalho Família, escola e trabalho são, sem sombra de dúvida, os fatores básicos da socialização. Que papel exercem a família, a escola e o trabalho no que tange à estimulação e ao desenvolvimento da criatividade? Parece que eles têm algo mais sério a fazer, como diria Exupéry, do que pre¬ ocupar-se com criação, do que formar homens autônomos, inventivos, criativos. E isto é válido também para os superdotados. Seus talentos não impor¬
doi:10.1590/s1414-98931992000100006 fatcat:luyckarb3vay3ls37gu363c3k4