O Ensino de Probabilidade e o Novo Ensino Médio

Cassio Cristiano Giordano, Fatima Aparecida Kian
2021 International Journal for Research in Mathematics Education  
Neste artigo, discutimos as novas perspectivas para o ensino de Probabilidade no Brasil. a partir da publicação da Base Nacional Comum Curricular – BNCC e do Currículo Paulista. A abordagem metodológica é o estudo bibliográfico documental. Nos debruçamos sobre os Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio, a BNCC, o currículo Paulista e os artigos, publicados no último ano, que tratam da presença da Estocástica no ensino brasileiro a partir da nova reforma curricular. Onosso quadro
more » ... ar. Onosso quadro teórico é constituído pela Análise Exploratória de Dados e pelo modelo de letramento probabilístico de Gal (2005). Os resultados que emergem do estudo buscam responder à questão de pesquisa: As mudanças curriculares propostas pela BNCC e pelo Currículo Paulista representam possíveis avanços para o ensino e para a aprendizagem de Probabilidade no Ensino Médio? Avaliamos esses possíveis avanços trazidos pela nova base curricular nacional e pelo currículo de São Paulo, na medida em que ampliam no programa o espaço dedicado à Probabilidade, detalhando as etapas do processo de produção científico, articuladas com a Estatística, visando atender as competências e habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos. Identificamos, também, a introdução curricular da perspectiva frequentista, necessária, segundo nosso referencial teórico, para o efetivo processo de letramento probabilístico. Por fim, reconhecemos orientações para articulação da Estatística e da Probabilidade com outras disciplinas, direcionando uma abordagem interdisciplinar e transdisciplinar, que conjecturamos ser uma possibilidade viável para uma abordagem por meio de projetos,com potencial para favorecer a Educação Estocástica. Vale ressaltar que, entre as disciplinas que podem ser exploradas, em termos didático-pedagógicos, se encontram as três novas disciplinas do Currículo Paulista para o ano de 2000: Tecnologia e Inovação, Projeto de Vida e Eletivas. Apesar da superficialidade dos documentos curriculares analisados, encontramos indícios que nos permitem supor possíveis avanços no ensino e aprendizagem de Probabilidade para os próximos anos no Estado de São Paulo.
doi:10.37001/ripem.v11i1.2569 fatcat:2jh6ti7xt5aureq7wawt7lhlzm