Use of sanitizing products: safety practices and risk situations

Ana Aurélia Rocha da Silva, Raquel Souza Passos, Luiz Alberto Simeoni, Francisco de Assis Rocha Neves, Elisa de Carvalho
2014 Jornal de Pediatria (Versão em Português)  
Objectives: to evaluate the handling and risk factors for poisoning and/or digestive tract injuries associated with the use of sanitizing products at home. Methods: interviews were conducted in 419 households from different regions, collecting epidemiological data from residents and risk habits related to the use and storage of cleaning products. Results: sanitizing products considered to be a health risk were found in 98% of the households where the research was conducted, and in 54% of cases,
more » ... nd in 54% of cases, they were stored in places easily accessible to children. Lye was found in 19%, followed by illicit products in 39% of homes. In 13% of households, people produced soap, and in 12% they stored products in non-original containers. The use of illicit products and the manufacture of handmade soap were associated with lower educational level of the household owners and with the regions and socioeconomic classes with lower purchasing power. Conclusions: risk practices such as inadequate storage, manufacturing, and use of sanitizing products by the population evidence the need for public health policies, including educational measures, as a means of preventing accidents. Este é um artigo Open Access sob a licença de CC BY-NC-ND Este é um artigo Open Access sob a licença de CC BY-NC-ND 150 Silva AA et al. PALAVRAS-CHAVE Cáusticos; Corrosivos; Prevenção de acidentes; Grupos de risco; Produtos saneantes Uso de produtos saneantes: práticas de segurança e situações de risco Resumo Objetivos: avaliar a forma de utilização e os fatores de risco para intoxicações e/ou lesões do trato digestório associados ao uso dos produtos saneantes no domicílio. Métodos: foram realizadas entrevistas em 419 domicílios de diferentes regiões, estabelecendose dados epidemiológicos dos moradores e hábitos de risco relacionados à utilização e armazenamento dos produtos de limpeza. Resultados: dos domicílios onde foi realizada a pesquisa, havia produtos saneantes considerados de risco em 98%, sendo que em 54% dos casos, eles estavam armazenados em locais de fácil acesso para crianças. A soda cáustica estava disponível em 19% e os produtos "clandestinos" em 39% das moradias. Em 13% dos domicílios havia o hábito de fazer sabão e em 12% de armazenar os produtos fora da embalagem original. O uso de produtos clandestinos e a fabricação artesanal de sabão estavam associados à baixa escolaridade das donas das casas e às regiões e às classes econômicas de poder aquisitivo mais baixo. Conclusões: práticas de risco como armazenamento, fabricação e utilização inadequados de produtos saneantes pela população estudada apontam para a necessidade de políticas de saúde pública, incluindo medidas educacionais, como forma de prevenção de acidentes.
doi:10.1016/j.jpedp.2013.08.009 fatcat:ozzxwfnafjaztigpe3vx7iasji