As vozes no contexto infantil: a polarização em destaque

Analúcia Morais Vieira
2008 Zero-a-seis  
INTRODUÇÃO As crianças precisam ser autoras de suas próprias histórias, verdadeiras narradoras, e não coadjuvantes no processo dinâmico que é o seu cotidiano infantil. Elas gostam de ser desafiadas a pensar e convidadas a participar de tudo o que ocorre ao seu redor. Ao se sentirem envolvidas com o momento de aprender, elas começam a ser agentes de sua própria história. Isso pode acontecer quando elas se envolvem com o como, o quando, o onde e o porquê do seu cotidiano escolar infantil. Nesse
more » ... r infantil. Nesse sentido, penso que há princípios fundamentais que a educadora pode valorizar no trabalho com a criança pequena. Um destes princípios é que a ignorância no sentido do não saber é promotora da busca do conhecimento e um outro é que o papel da educação infantil é promover a formação de crianças protagonistas para um mundo social. Ao propor este artigo tenho a intenção de fazer uma reflexão sobre as sutilezas dos discursos das educadoras, das auxiliares e das crianças que acontecem no cotidiano infantil sobre o viés da polarização. Na literatura especializada da Educação, da Psicologia e da Sociologia da Infância que até o momento tive acesso não encontrei nenhum registro de polarização dos discursos no contexto infantil ou polarização em outras áreas afins. No entanto, a minha prática observadora como educadora infantil e o meu espírito investigativo me permitiram detectá-la nesses discursos. Nesse momento, para mim, mais relevante do que saber as causas da polarização é constatar que ela está presente no contexto infantil e que evidenciá-la pode resultar em um contributo para a Educação. Futuramente, a investigação das causas, bem como o
doi:10.5007/1980-4512.2008n18p31 fatcat:7spx333jd5e5jkifyrsrppm4ti