"Mais do que nunca é preciso cantar": o papel dos musicais do Grupo Opinião na construção da resistência democrática (1964-1966)

Mariana Rodrigues Rosell
2014 Humanidades em diálogo  
Este artigo pretende refletir sobre a importância que os espetáculos musicais do Grupo Opinião tiveram no processo de construção da resistência democrática ao regime militar brasileiro, vigente após o golpe civil-militar de 1964. A política aliancista de resistência esteve na base do projeto estético e ideológico de um dos principais nomes da resistência cultural ao regime militar brasileiro, o Grupo Opinião, e se manifestou já em seus primeiros espetáculos: Opinião (1964) e Liberdade,
more » ... (1965). Ambos formularam uma espécie de modelo para a resistência pautada pelo frentismo cultural e são bons exemplos das características que nortearam a atuação de grandes nomes da dramaturgia brasileira, como Oduvaldo Vianna Filho e Paulo Pontes, que estiveram no Opinião desde sua fundação até o primeiro racha interno do grupo, em 1967.
doi:10.11606/issn.1982-7547.hd.2014.106269 fatcat:u654yishc5dhxethnrpn63sxda