A Objetividade Negativa do Artefato Estético. Adorno e os Paradoxos da Arte como Figuração de Um Sujeito Emancipado

V. Freitas
2015 Comunicações  
A objetividAde negAtivA do ArtefAto estético. Adorno e os pArAdoxos dA Arte como figurAção de um sujeito emAncipAdo The negative objectivity of aesthetic artifact. Adorno and the paradoxes of art as figuration of an emancipated subject La objetividad negativa del artefacto estético. Adorno y las paradojas del arte como figuración de un sujeto emancipado Resumo O objetivo deste texto é fazer uma análise crítica da concepção dialética de Adorno a respeito do vínculo entre sujeito e objeto,
more » ... to e objeto, encaminhando a discussão para a arte, em que a racionalidade estética é vista como crítica e ultrapassagem da inércia aprisionadora da razão empírica e instrumental. Na primeira parte, falaremos sobre a supressão das mediações entre sujeito e objeto, a qual configura o estado de desumanização característico do mundo totalmente administrado. Na parte final, abordaremos a perspectiva da crítica dialética adorniana, focalizando especificamente o conceito de primado do objeto no âmbito da arte, ressaltando os paradoxos presentes nessa concepção. Apesar dos aspectos críticos que levantamos, concluímos pela pertinência das reflexões de Adorno, particularmente no que concerne às suas categorias da configuração histórico-filosófica da obra de arte, que condensa o esforço de estabelecer uma mediação entre a realidade empírica e a utopia estética. PalavRas-chave: adorno; theodor; sujeito; arte; estética. abstRact The aim of this paper is to make a critical analysis of Adorno's dialectical conception of the relation between subject and object, leading the discussion to the realm of art, where the aesthetic rationality is seen as critical and sublating the imprisoning inertia of empirical and instrumental reason. In the first part, we will talk about the abolition of mediations between subject and object, which sets the state of dehumanization characteristic of fully administered world. In the final part, we discuss the perspective of Adorno's dialectical critic, specifically focusing on the concept of priority of the object within the art, highlighting the paradoxes present in this conception. Despite the critical issues we raise, we conclude pointing to the relevance of Adorno's reflections, particularly about his categories of historical-philosophical configuration of the artwork, which condenses the effort to establish a mediation between empirical reality and the aesthetic utopia.
doi:10.15600/2238-121x/comunicacoes.v22n3p9-20 fatcat:qxgrvl4iebdnbmdmigedbqltcy