ASSISTÊNCIA À SAÚDE DA CRIANÇA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE: LIMITES PARA HUMANIZAÇÃO

Thaynara Venancio Bezerra, Marcelo Alves Da Silva, Paulo Leonardo Ponte Marques, Lídia Samantha Alves De Brito
2018 Cadernos de Cultura e Ciência  
Resumo: Objetivou-se identificar fatores que podem interferir na assistência saúde à criança na atenção primária à saúde pela ótica dos princípios e diretrizes da política nacional de humanização. Revisão integrativa da literatura, em que a busca foi realizada de outubro de 2016 a janeiro de 2017 na Biblioteca Virtual de Saúde (BVS), nas seguintes bases de dados: Literatura Latino Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e Medical Literature Analysis and Retrieval System Online
more » ... System Online (MEDLINE) e Base de Dados de Enfermagem (BDENF). Os descritores utilizados para a busca foram "saúde da criança" e "atenção primária à saúde", a busca resultou em 6.647 estudos, que estabelecidos os critérios de inclusão, 13 foram selecionados. De acordo com a análise dos estudos formularam cinco categorias que expressam os fatores que têm interferido na assistência à saúde da criança na Atenção Primária: despreparo profissional, carência de recursos materiais e dificuldades no acesso, fragilidades na comunicação entre os níveis de atenção à saúde e ausência de acolhimento. Evidencia-se que os fatores que podem dificultar a assistência à saúde da criança englobam desde falhas no âmbito da gestão, estrutura e competência profissional, fato que leva ao predomínio do modelo biomédico. No tocante para que haja uma assistência de qualidade de acordo com os princípios e diretrizes na PNH, é importante que os profissionais considerem a criança em meio a um contexto familiar, social, cultural e econômico. Palavras-chave: Humanização da assistência. Atenção primária à saúde. Saúde da criança. Abstract: The objective was to identify factors that may interfere in the health care of the child in the primary health care from the point of view of the principles and guidelines of the national humanization policy.
doi:10.14295/cad.cult.cienc.v17i1.1621 fatcat:olhnkveavrem5cepojvpkah7be