O DARWINISMO NA EPISTEMOLOGIA TARDIA DE SIR KARL POPPER THE DARWINISM IN THE KARL POPPER'S LATE EPISTEMOLOGY

Rogério Soares Da Costa
2010 unpublished
Resumo: O presente artigo pretende determinar o papel desempenhado pela teoria darwiniana na epistemologia tardia de Karl Popper. Palavras-chave: Darwinismo. Epistemologia. Conjecturas. Refutações Abstract: This article intends to determine the role of the Darwinian theory in Karl Popper"s late epistemology. A obra epistemológica de Sir Karl Popper, certamente das mais importantes do século XX, se caracteriza por uma crítica profunda e veemente ao tradicional projeto de uma teoria demarcatória
more » ... eoria demarcatória entre ciência empírica e pseudo-ciência empírica baseada no indutivismo. Uma vez que não há possibilidade de se inferir logicamente enunciados universais de instâncias singulares, a idéia de que a ciência se baseia em tal raciocínio seria errônea e conduziria ao irracionalismo. Em contrapartida, Popper defendia uma teoria demarcatória segundo a qual é científica toda teoria da qual se podem deduzir logicamente predições empiricamente testáveis. A tese popperiana, centrada no caráter disposicional de refutabilidade empírica, afastava como "metafísicas" (ou seja, sem possibilidade de refutação empírica) teorias como a psicanálise, a astrologia e até mesmo o darwinismo. Este, no entanto, desempenhou um papel preponderante no pensamento tardio de Popper, a ponto do próprio filósofo batizar sua teoria do conhecimento como epistemologia pós-darwiniana. Uma tal denominação poderia fazer crer que as últimas reflexões epistemológicas de Popper estivessem baseadas num naturalismo biológico derivado de Darwin. Nosso objetivo neste artigo é negar essa possibilidade e determinar o real papel do darwinismo no corpo do pensamento epistemológico popperiano.  PUC-RIO.
fatcat:mcxj2cy2mrczzfgwvyd6wxajum