FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA

Rosely Tavares, Alves Ana, Maria Martins, Carvalho Mol
unpublished
Este artigo tem por finalidade discutir a função social da escola, buscando compreender as ligações existentes entre ela e as demandas da sociedade. Faremos uma reflexão sobre o papel da escola no mundo contemporâneo, seu lugar na sociedade do conhecimento, seus nexos com a democracia, suas interfaces com a comunidade e suas conexões com a cultura. Para compreender a função social da escola, é importante situá-la no mundo moderno, observando os múltiplos papéis exercidos por ela ao longo do
more » ... ela ao longo do tempo. À primeira vista, verificamos que, mesmo cumprindo a tarefa básica de possibilitar o acesso ao saber, sua função social apresenta variações em diferentes momentos da história, expressando diferenças entre sociedades, países, povos e regiões. Independentemente de suas modificações, no decorrer da história, a escola foi a instituição que a humanidade criou para socializar o saber sistematizado. Isto significa dizer que é o lugar onde, por princípio, é veiculado o conhecimento que a sociedade julga necessário transmitir às novas gerações. Nenhuma outra forma de organização até hoje foi capaz de substituí-la. Para cumprir seu papel, de contribuir para o pleno desenvolvimento da pessoa, prepará-la para a cidadania e qualifica-la para o trabalho, como definem a Constituição e a LDB,(Lei de Diretrizes e Bases), é necessário que suas incumbências sejam exercidas plenamente. Assim, é preciso ousar construir uma escola onde todos sejam acolhidos e tenham sucesso. No Brasil, desde o começo da nossa história, temos a forte tradição de uma escola para poucos. Essa situação começaria a mudar já no século XX, depois da Proclamação da República. Ainda assim, por muito tempo, a escola exerceu, em alguns lugares ainda exerce, uma função social excludente, ou seja, a escola atendia apenas uma pequena parcela, a camada mais rica, da população. Analisaremos, a seguir, uma trajetória desse perfil histórico da educação. O SURGIMENTO DA ESCOLA A escola para crianças e jovens, como hoje a conhecemos, tem presença recente na história da humanidade. É verdade que, desde um passado bem remoto, existia a tarefa de transmitir a novas gerações o conhecimento sistematizado e as normas de convivência consideradas necessárias aos mais jovens. Já na Antiguidade, tanto em Roma como na Grécia, a preocupação com a formação cultural daqueles que iriam constituir as camadas dirigentes estava presente. A educação dos meninos, para a convivência pública e para a guerra, era objeto de muita atenção. O ensino organizado em instituição própria, todavia, começou pelas universidades. Eram poucos os que tinham acesso às primeiras letras e formas elementares de aprendizagem, preparatórias para as universidades. Quando existia, a escola destinava-se apenas aos filhos das camadas mais ricas da população.
fatcat:qyhilaag2fcxdobksl2blcivii