REFLEXÕES SOBRE A PERCEPÇÃO DO CAPITAL HUMANO NAS ÚLTIMAS CINCO DÉCADAS * REFLECTIONS ON THE PERCEPTION OF HUMAN CAPITAL IN THE LAST FIVE DECADES

Ijkem, Int Knowl, Eng, S Manage. Florianópolis, Nov
2015 INT. J. KNOWL. ENG. MANAGE   unpublished
* Artigo publicado nos anais do 12 o. Congresso Brasileiro de Gestão do Conhecimento-KMBrasil 2014. Este artigo pode ser copiado, distribuído, exibido, transmitido ou adaptado desde que citados, de forma clara e explícita, o nome da revista, a edição, o ano, e as páginas nas quais o artigo foi publicado originalmente, mas sem sugerir que a IJKEM endosse a reutilização do artigo. Esse termo de licenciamento deve ser explicitado para os casos de reutilização ou distribuição para terceiros. Não é
more » ... a terceiros. Não é permitido o uso para fins comerciais. VIDOTTO, BENTANCOURT E BASTOS RESUMO Objetivo: O objetivo deste artigo é propor uma reflexão sobre a percepção do capital humano nas últimas cinco décadas e apresentar sua evolução do seu conceito ao longo do tempo. Design/Metodologia/Abordagem: A metodologia consiste da escolha de três publicações que abordam o tema em épocas distintas. Elas foram lidas, analisadas e comparadas em termos de conceitos, objetivos, conteúdos e abordagens. Os artigos selecionados foram Investment in Human Capital (SCHULTZ, 1961), Managing organizational knowledge by diagnosing intellectual capital: framing and advancing the state of the field (BONTIS, 1999) e Influencia del capital humano en la calidad de la auditoria contable (FERNÁNDEZ; GISBERT; SALAZAR, 2013). Resultados: Schultz (1961) foi o primeiro a formalizar que o conhecimento e as habilidades das pessoas eram uma forma de capital, o capital humano. Posteriormente, na percepção de Bontis (1999), o capital humano foi incorporado ao contexto do capital intelectual e destacado como fonte de vantagem competitiva, inovação e renovação estratégica. Recentemente, Fernández, Gisbert e Salazar (2013) ampliaram o seu escopo e asseguram que o nível de capital humano influencia diretamente na qualidade dos serviços prestados. O artigo apresenta evidências da importância do capital humano na era do conhecimento. Limitações da pesquisa: Os conceitos foram discutidos a partir dos artigos Investment in Human Capital (SCHULTZ, 1961), Managing organizational knowledge by diagnosing intellectual capital: framing and advancing the state of the field (BONTIS, 1999) e Influencia del capital humano en la calidad de la auditoria contable (FERNÁNDEZ; GISBERT; SALAZAR, 2013). Implicações práticas: As pessoas são os principais agentes da organização e os seus conhecimentos, habilidades e atitudes formam o capital humano, que é um ativo intangível e pode ser fonte de vantagem competitiva. A discussão do conceito e seu entendimento num contexto possibilitam potencializar sua aplicação. Implicações sociais: Promover a discussão da importância das pessoas e seu conhecimento nas organizações. Palavras-chave: ativos intangíveis. capital intelectual. capital humano. ABSTRACT Purpose: The purpose of this paper is to present a reflection on the perception of human capital in the last five decades and to demonstrate its evolution over time. Design / Methodology / Approach: The methodology consisted of the choice of three publications that deal with the subject at different times, which were read, analyzed and compared in terms of concepts, objectives, content and approaches. The selected articles were Investment in Human Capital (SCHULTZ, 1961),
fatcat:z5q7s26q3zgiharlldi4itsxvy