Desinfestação superficial, germinação e regeneração in vitro a partir de sementes de calêndula

Caroline Borges Bevilacqua, Lia Rejane Silveira Reiniger, Diego Pascoal Golle, Felippe Correa da Rosa
2011 Ciência Rural  
Os objetivos deste trabalho foram: desenvolver um protocolo de desinfestação superficial de sementes, selecionar uma metodologia de germinação in vitro, avaliar o potencial de regeneração no cultivo in vitro e a influência do tempo de cultivo no tipo de calo formado e na regeneração a partir de calos de calêndula. Para a desinfestação superficial, foram testados diferentes tempos de imersão em solução de hipoclorito de sódio a 2,5%. Na germinação in vitro, foram testados: imersão em ácido
more » ... rsão em ácido sulfúrico absoluto; imersão em ácido clorídrico absoluto; retirada do tegumento e embebição das sementes; e embebição das sementes sem a retirada do tegumento. Para avaliar o potencial de regeneração in vitro, foram testadas diferentes concentrações de 6-benzilaminopurina (BAP) e ácido alfa-naftaleno acético (ANA) e tempos de cultivo. A imersão em solução de hipoclorito de sódio a 2,5% por 30 minutos aliada à remoção do tegumento promove a germinação in vitro de sementes de calêndula, efetuando uma desinfestação superficial satisfatória. Para a regeneração de partes aéreas e raízes a partir de sementes de calêndula não é necessária a suplementação com fitorreguladores. Na presença de BAP, independentemente da presença ou não de ANA, calos primários induzem à formação de calos esponjosos e friáveis e de calos verdes e rígidos, estes em menor número; na ausência de BAP é induzida a formação de calos pequenos. Calos jovens são mais eficientes em regenerar partes aéreas em calêndula.
doi:10.1590/s0103-84782011000500004 fatcat:gakyseu3ibdelidc4yny7hcn5q