Experiências de famílias de crianças com Síndrome de Down no processo de inclusão na rede regular de ensino [thesis]

Flávia Mendonça Rosa Luiz
DEDICATÓRIA Dedico este trabalho, especialmente: Ao meu marido, Ivair, pelo seu apoio e pela dedicação aos nossos filhos nos momentos de minha ausência. Você é um grande companheiro. Aos meus filhos, Vitor e Gustavo, meus grandes amores, obrigada pela paciência. Todo meu esforço é por vocês. Aos meus pais, José Carlos e Laís, pelo grande amor dispensado a mim em todos os momentos da minha vida e por tudo que me ensinaram. À tia Carmem, pelo carinho e constante estímulo para o meu crescimento.
more » ... meu crescimento. Às minhas irmãs, Luciana e Valéria, por torcerem pelo meu sucesso. Às amigas, Fernanda, Paula Chuproski e Paulinha, pela amizade e pela constante ajuda durante o mestrado. Às amigas, Norma e Ana Cristina, pelo incentivo e cumplicidade em todos os momentos. À amiga Cristina, por ter me mostrado o "caminho das pedras". Vocês são especiais para mim. AGRADECIMENTOS A Deus, meu Pai, por iluminar meu caminho e ter me permitido completar esta jornada. À Profa. Dra. Lucila Castanheira Nascimento, obrigada por ter me aceitado e acreditado em mim. Você soube respeitar minhas limitações e me conduzir de maneira muito carinhosa. Aprendi muito com você e espero continuar usufruindo de sua sabedoria. À Profa. Dra. Luzia Iara Pfeifer, pelas contribuições no exame de qualificação e pela disponibilidade de participar da banca da defesa desta dissertação. À Profa. Dra. Milena Flória Lima Santos, pelo incentivo e pelas sugestões no exame de qualificação. Ao Dr. Pedro Paulo Ortolan, pelo apoio emocional. Ao Programa de Pós-Graduação Enfermagem em Saúde Pública da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, pelo apoio no desenvolvimento desta pesquisa. À Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, pela contribuição em minha formação. À APAE, pela oportunidade da conclusão deste trabalho. BEM VINDO À HOLANDA Ter um bebê é como planejar uma fabulosa viagem de férias -para a ITÁLIA! Você compra montes de guias e faz planos maravilhosos! O Coliseu. O Davi de Michelângelo. As gôndolas em Veneza. Você pode até aprender algumas frases em italiano. É tudo muito excitante. Após meses de antecipação, finalmente chega o grande dia! Você arruma suas malas e embarca. Algumas horas depois você aterrissa. O comissário de bordo chega e diz: -BEM VINDO À HOLANDA! -Holanda!?!-Diz você. -O que quer dizer com Holanda!?!? Eu escolhi a Itália! Eu devia ter chegado à Itália. Toda a minha vida eu sonhei em conhecer a Itália! Mas houve uma mudança de plano de vôo. Eles aterrissaram na Holanda e é lá que você deve ficar. A coisa mais importante é que eles não te levaram a um lugar horrível, desagradável, cheio de pestilência, fome e doença. É apenas um lugar diferente. Logo, você deve sair e comprar novos guias. Deve aprender uma nova linguagem. E você irá encontrar todo um novo grupo de pessoas que nunca encontrou antes. É apenas um lugar diferente. É mais baixo e menos ensolarado que a Itália. Mas após alguns minutos, você pode respirar fundo e olhar ao redor, começar a notar que a Holanda tem moinhos de vento, tulipas e até Rembrants e Van Goghs. Mas, todos que você conhece estão ocupados indo e vindo da Itália, estão sempre comentando sobre o tempo maravilhoso que passaram lá. E por toda sua vida você dirá: -Sim, era onde eu deveria estar. Era tudo o que eu havia planejado! E a dor que isso causa nunca, nunca irá embora. Porque a perda desse sonho é uma perda extremamente significativa. Porém, se você passar a sua vida toda remoendo o fato de não ter chegado à Itália, nunca estará livre para apreciar as coisas belas e muito especiais sobre a Holanda.
doi:10.11606/d.22.2009.tde-18082009-124851 fatcat:6jbpveelr5glvmjdgjt2faoody