A entrega de um filho para adoção e o mito do amor materno: estudo clínico-qualitativo com profissionais de enfermagem envolvidos com mulheres que entregam os filhos para adoção [thesis]

Rita Marques Tropa Alves dos Santos Marques
DEDICATÓRIA Para ti meu pai, que partiste cedo demais, mas que numa "estrelinha" continuas a guiar-me, iluminar-me e a proteger-me todos os dias... AGRADECIMENTOS A todos os profissionais de enfermagem, brasileiros e portugueses, que aceitaram e se disponbilizaram em participar no presente estudo. Pelas suas reflexões, comentários e entendimentos sobre o tema em estudo, o meu mais profundo e sincero reconhecimento. Agradeço de coração as contribuições e a possibilidade que me propiciaram de
more » ... propiciaram de partilharem experiências profissionais e conhecimentos que me acompanharam ao longo de todo este trabalho. À minha orientadora, Professora Livre Docente Ivonise Fernandes da Motta, agradeço pelo acolhimento, disponibilidade e pelo incentivo na condução deste trabalho, feito sempre com simpatia, generosidade e interesse. À Banca de Qualificação, Professora Titular Isabel Cristina Gomes e Professora Doutora Salomé Vieira Santos, pela leitura atenta do trabalho, pelos comentários e sugestões, tão importantes para o desenvolvimento do presente estudo. À Professora Doutora Luana Cunha Ferreira, pela ajuda e apoio na análise e tratamento dos dados qualitativos. Nunca terei palavras para agradecer. seu incentivo e apoio na realização da pesquisa. O meu muito obrigada. Às assistentes sociais Rosemeire M.M. Brito e Lusinete Mathias, aos elementos do Setor Técnico e Cartório da Vara, agradeço a ajuda e disponibilidade ao longo deste processo. Agradeço o apoio do Secretário do Município, Diretoria do Hospital/Maternidade, pelo incentivo e ajuda para a realização da pesquisa. À Claudia Rocha, da secretaria de Pós-Graduação do Instituto de Psicologia Clínica, pela simpatia, prontidão e ajuda, sempre que foi necessário. À Enfermeira Chefe Solange de Fátima P. Conejo, agradeço a disponibilidade, ajuda e facilitação de meios, imprescindíveis à coleta de dados e entrevistas realizadas. Sem a sua generosiddade e envolvimento, nada teria sido possível. À Enfermeira Maria Aurélia, à Assistente Social Célia Regina Alves da Silva Pinto e, em especial, à Psicologa Rita de Fátima Leme, pela disponibilidade e simpatia com que me receberam em contexto de maternidade. Só posso agradecer o acolhimento e carinho que me facilitaram, bem como o seu incentivo para que o trabalho tomasse o seu rumo. À enfermeira Alice Egreja, pelo carinho, pela ajuda, pela escuta e reflexão sobre temas relacionados com a enfermagem, tão importantes ao aprofundamento das questões colocadas na presente pesquisa. Sem a sua ajuda esta pesquisa não teria sido possível. À Layla e ao Leonardo Borgatti, pela revisão e leitura atenta e criteriosa do trabalho. Sua ajuda foi uma benção inesperada. Agradeço à Psicóloga Yara Ishara, pela atuação na construção do projeto de pesquisa e participação na sua execução mas, acima de tudo, pela sua generosidade, afeto, apoio, incentivo e presença constantes. Sem a sua amizade e disponibilidade nada teria sido igual. Nem um oceano conseguiu nos afastar. Apesar da distância física, a sua amizade esteve sempre presente. Nunca conseguirei colocar em palavras, o seu apoio e ajuda neste caminho. À Ana Rita, pela amizade ao longo dos anos. Pela sua ajuda na minha formação enquanto Psicóloga e por me ter ensinado a querer aprender sempre mais. À Ana Amado, minha irmã de coração. A sua amizade consegue sempre fazer milagres. Aos restantes amigos, portugueses, brasileiros, argentinos, libaneses, sírios, americanos, que nestes anos de expatriamento me ensinaram a nunca perder a esperança. Que me receberam sempre de braços abertos e foram o meu porto seguro. Que me apresentaram novos mundos, culturas e me mostraram que não há lugar no mundo como Portugal. Estarão sempre comigo. À minha família, por apesar de, às vezes, mais longe, estar sempre perto. À minha mãe, pela sua força e coragem, pela presença, pelo seu amor e pela disponibilidade em me ouvir sempre. Ao Óscar, meu companheiro, amigo, amor de uma vida. A sua presença nos bons e maus momentos têm sido a minha fortaleza. O seu incentivo e apoio ajudaram de forma incondicional a realização de mais este projeto. Ao António Maria, à Maria do Carmo e ao José Maria, por me ensinarem o que é ser mãe. Por aceitarem as minhas ausências. Pelo amor infinito. RESUMO Marques, R. T. A. A entrega de um filho para adoção e o mito do amor materno: estudo clínico-qualitativo com profissionaisde enfermagem envolvidos com mulheres que entregam os filhos para adoção. Tese (Doutorado ABSTRACT Marques, R. T. A. The delivery of a child for adoption and the myth of maternal love: a qualitative clinical study with nursing professionals involved with women who deliver their children for adoption. Tese (Doutorado Psicologia Clínica), Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019. Adoption is studied worldwide. There are, however, few studies from the perspective of the biological mothers who place their children for adoption. The available studies focus on the characterization of these women and tend to concentrate on secondary issues relating to the reasons why these women place their children for adoption. The purpose of this research is to investigate how the myth of maternal love refers to ideas and conceptions perceived by nursing professionals who are directly involved with these women. Moreover, it seeks to understand how the personal experience in these professionals' family of origin may interfere in their relationship with women who place their child for adoption. It looks at how the idealized model of the traditional family may interfere in their professional work and attitude. It examines how the interactive narratives may contribute to reflecting upon this issue and their professional attitude towards these women. Finally, it seeks to analyze the possible differences and similarities that exist in terms of the behavior of Brazilian and Portuguese nursing professionals towards the women who place their children for adoption. Methodologically speaking, this study is a qualitative research that has used not only the interpretative method of thematic analysis but also a few codification strategies based on the Grounded Theory. Individual semi-direct interviews were carried out with 67 (Brazilian and Portuguese) nursing professionals who had contact with these women. Subsequently, each professional was asked to complete two fictitious stories, especially designed for this study, on the subject of placing a child for adoption, which produced an interactive narrative. The results point towards an idealized view of motherhood, where the mother has unconditional love towards her children and places them before everything else, to the detriment of her own personal needs and desires. This view seems to cause an impact on how nursing professionals see women who place their child for adoption as well as their behavior towards them. Additionally, nursing professionals tend to behave in accordance with their own personal experience which in turn make them believe that a mother must keep her child. The nursing professionals' view on the ideal family allows us to understand how the traditional family model continues to be present, despite its coexistence with other types of family models. In this respect, it is possible to foresee the challenges and difficulties regarding how women who place their children for adoption are received and how professionals behave towards them. The results confirm how the interactive narratives are valuable, enabling greater reflection and the ability to look into the issue of placing a child for adoption more in-depth. The narrated stories show that there is a wider acceptance of the situation when the woman comes from a lower-class background.
doi:10.11606/t.47.2020.tde-18022020-111945 fatcat:iswtf4z4lnhmzmux467ioleo4m