Qualidade de melão minimamente processado armazenado em atmosfera modificada passiva

Maria Cecília de Arruda, Angelo Pedro Jacomino, Claire I.G.L. Sarantópoulos, Celso Luiz Moretti
2003 Horticultura Brasileira  
Frutos de melão do tipo, rendilhado cv. Bônus II, foram minimamente processados na forma de cubos e acondicionados em embalagens de diversos materiais sendo, em seguida, armazenados a 3ºC. Nas embalagens foram utilizados os materiais: AFG: filme poliolefínico da DuPont 15µm, HP: filme poliolefínico da DuPont 15µm, PD-900: filme poliolefínico da Cryovac 58µm, PEBD: filme de polietileno de baixa densidade 87µm, PP: filme de polipropileno 52µm, BB-200: filme multicamada da Cryovac 65µm, PET:
more » ... ac 65µm, PET: embalagem rígida de polietereftalato de etileno. Foram determinadas as taxas de permeabilidade ao O2 e ao CO2 de cada uma das embalagens. As composições gasosas do espaço livre das embalagens foram determinadas diariamente durante 8 dias e no 9º dia as características físico-químicas e sensoriais foram avaliadas. A taxa respiratória foi determinada nos melões inteiros e nos melões minimamente processados. Os filmes utilizados não promoveram modificação efetiva da atmosfera, mas a embalagem rígida de PET proporcionou, a partir do 6º dia, uma atmosfera de equilíbrio com 12% O2 e 7% CO2. As características físico-químicas dos melões foram mantidas em todos os tratamentos, enquanto as características sensoriais foram mantidas apenas nos melões acondicionados na embalagem rígida de PET. A modificação passiva da atmosfera, para melão minimamente processado armazenado a 3ºC, não foi verificada na extensão desejada com as embalagens estudadas, provavelmente devido à baixa taxa respiratória observada nesta temperatura, associada à alta relação entre área de permeação da embalagem e massa de melão.
doi:10.1590/s0102-05362003000400017 fatcat:2l34ayshgbgmpl5tdojikqrvta