Cortical inhibition effect in musicians and non-musicians using P300 with and without contralateral stimulation

Camila Maia Rabelo, Ivone Ferreira Neves-Lobo, Caroline Nunes Rocha-Muniz, Thalita Ubiali, Eliane Schochat
2015 Brazilian Journal of Otorhinolaryngology  
Musicians have more robust and efficient neural responses in the cortical and sub-cortical regions, demonstrating that musical experience benefits the processing of both non-linguistic and linguistic stimuli. Objective: This study aimed to verify P300's latency and amplitude behavioral using contralateral stimulation in musicians and non-musicians. Methods: This was a case---control study. Subjects were divided in two groups: musicians, comprising 30 professional musicians, and non-musicians,
more » ... nd non-musicians, comprising 25 subjects without musical experience. Results: The present study showed that the musicians had lower latencies and higher amplitudes than the non-musicians in the P300 without contralateral noise. For the P300 amplitude values, the difference between groups persisted, and the musicians presented significantly higher amplitude values compared with the non-musicians; additionally, the analysis of the noise effect on the P300 response showed that the latency values were significantly increased in the musicians. Conclusion: The central auditory nervous system of musicians presents peculiar characteristics of electrophysiological responses probably due to the plasticity imposed by musical practice. Efeito da inibição cortical utilizando o P300 em músicos e não músicos com e sem estimulação contralateral Resumo Introdução: Os músicos possuem respostas neurais mais robustas e eficientes em regiões corticais, mostrando que a experiência musical beneficia o processamento de estímulos linguísticos e não linguísticos. Objetivo: Verificar como a latência e a amplitude do P300 se comporta usando estimulação contralateral, em músicos e não músicos. Método: Estudo de caso-controle. Os indivíduos foram divididos em dois grupos: GM (grupo de músicos) com 30 músicos profissionais e GNM (grupo de não músicos) com 25 indivíduos sem experiência musical. Resultados: Os resultados mostraram que: GM teve latências menores e amplitudes maiores do que a GNM no P300 sem ruído contralateral. Para os valores de amplitude do P300, a diferença entre os grupos se manteve, e o GM apresentou valores de amplitude significativamente maiores em comparação com o GNM; e a análise do efeito do ruído sobre a resposta P300 mostrou que os valores de latência foram significativamente maiores no GM. Conclusão: Concluímos que o sistema nervoso auditivo central de músicos apresenta características peculiares de respostas eletrofisiológicas provavelmente devido à plasticidade imposta pela prática musical.
doi:10.1016/j.bjorl.2014.11.003 pmid:25497849 fatcat:v5wtq5tjkvdazkcl7n3unwmpua