Classificação molecular dos carcinomas de mama: uma visão contemporânea

Alfredo Carlos Simões Dornellas de Barros, Kátia Ramos Moreira Leite
2015 Revista Brasileira de Mastologia  
Keywords Breast cancer Breast Neoplasms Classification Immunohistochemistry Molecular Biology Genetics Descritores Câncer de mama Neoplasias da mama Classificação Imuno-Histoquímica Biologia molecular Genetica RESUMO O câncer de mama é uma doença heterogênea com comportamentos diferentes. O progresso da biotecnologia permitiu sua classificação molecular por perfis de expressão gênica, a saber: luminal A, luminal B, superexpressor de HER-2, basaloide, "normal like", "claudin-low" e molecular
more » ... ow" e molecular apócrino. As características biológicas e moleculares dos subtipos são apresentadas e discutidas, assim como sua importância prognóstica. Existe uma forte correlação entre classificação dos tumores por "microarray" de DNA e reações imuno-histoquímicas, o que facilita seu uso na prática diária. Porém, um amplo espectro de neoplasias é incluído como triplo-negativo (com negatividade de receptores de estrogênio e progesterona e oncogene HER-2) e é possível discriminá-las em distintas formas genômicas. ABSTRACT Breast cancer is a heterogeneous disease with different evolutions. The progress of biotechnology allowed its molecular classification based in genetic expression profiles, as follows: luminal A, luminal B, HER-2 superexpressor, basal-like, normal-like, claudin-low and molecular apocrine. Biologic and molecular characteristics of the subtypes are presented, as well as their prognostic importance. There is strong correlation between the DNA microarray classification and immunohistochemistry, making easier ITS usage in the daily practice. There is a wide spectrum of triple-negative neoplasias (estrogen and progesterone negative receptors, and HER-2 oncogene negative) and it is possible to discriminate them in several genomic forms. Trabalho realizado no Hospital Sírio-Libanês -São Paulo (SP), Brasil. O câncer de mama não é uma doença única, e sim uma doença heterogênea, com múltiplas formas histopatológicas, diferentes respostas à terapêutica e evoluções variáveis. Com efeito, sob o rótulo de câncer de mama parecem estar agrupados distintos tipos de neoplasia com origem nas células da mama 1,2 . Apesar do acúmulo de conhecimento de biologia tumoral no século XX -aplicação de exames imuno-histoquímicos e morfológicos indicativos de ritmo da divisão e agressividade tumoral -, só na virada para o século XXI é que surgiu uma classificação tumoral mais precisa, baseada em perfis de expressão gênica 3 . Pode-se especular que cada tumor seja único e que seus conteúdos de DNA sejam individualmente distintos, mas métodos moleculares permitem agrupá-los em função de suas semelhanças genéticas, de modo a se estabelecer acurados parâmetros prognósticos e de orientação terapêutica.
doi:10.5327/z201500040006rbm fatcat:kz2roy5pjrb27k5dvzozujqz7m