As falhas ambientais e o processo de amadurecimento emocional: uma análise ilustrativa a partir de uma produção fílmica
pt

Déa E. Berttran, Carine Valéria Mendes dos Santos, Isabel Cristina Gomes
2015 Semina: Ciências Sociais e Humanas  
This paper takes as reference the concept of antisocial tendency from Winnicott's theory of emotional development. In this theory, the environmental flaw known as deprivation, manifested in antisocial behavior, bases this tendency. Deprivation is different from privation. Privation is the absence of appropriate environmental care since the beginning of development. On the other hand, deprivation occurs as result of a situation of positive and good enough care, which continuity suffered
more » ... y suffered disruption wider than the individual's ability to keep alive the experience of a supportive environment. Broader emotional lack, there is a significant expropriation feeling after loss of those who are responsible for environmental care, than, dispossessed. A joint of aspects of this behavior were undertaken, illustrated by biographical filmic production Gia, which depicts the personality of Gia Carangi, young woman who printed their singularity to the fashion world in the eighties, infected with HIV and the first woman victim of AIDS. Considered as a case study, the methodological context of selection, categorization and analyses of the film followed the concept of time-image proposed by Deleuze, systematized in three thematic temporal axis (performative time, hopelessness time and testimonial time). The analyses illustrated concepts linked to the manifestation of the antisocial acts that allow the understanding of a range of clinical symptoms of the current clinic, highlighting the playful nature of the relationship between cinema and psychoanalysis. Resumo Este artigo toma como referência o conceito de tendência antissocial inserido na teoria do desenvolvimento emocional de Winnicott. Na base dessa tendência, manifestada em condutas antissociais, está um acontecimento que se caracteriza como uma falha ambiental, denominado de deprivação. Diferente da privação, caracterizada pela ausência de cuidados ambientais adequados desde o início do desenvolvimento, a deprivação ocorre em decorrência de uma situação de cuidado positivo e suficientemente bom, cuja continuidade sofreu interrupção além da capacidade do indivíduo em manter viva a experiência de um ambiente sustentador; muito mais do que carência, há um desapossamento após perda significativa daqueles que seriam responsáveis pelo cuidado ambiental. Empreendeu-se uma articulação de aspectos desse comportamento, ilustrados pela produção fílmica biográfica Gia: Fama e destruição, que retrata a personalidade de Gia Carangi, jovem que imprimiu sua singularidade ao mundo da moda nos anos oitenta, contaminando-se com o HIV, sendo a primeira mulher vítima da AIDS. Considerado como um estudo de caso, o contexto metodológico de seleção, categorização e análise do filme seguiu o conceito de imagem do tempo proposto por Deleuze, sistematizado em três eixos temporais temáticos (tempos performático, da desesperança e testemunhal). A análise realizada ilustrou conceitos ligados à manifestação dos atos antissociais que permitem o entendimento de várias sintomatologias da clínica atual, valorizando o caráter lúdico da articulação entre cinema e psicanálise.
doi:10.5433/1679-0383.2015v36n1p37 fatcat:vgxm7olhqne67e43ohshaacof4