Detecção de animais persistentemente infectados (PI) para o vírus da diarreia viral bovina (BVDV) em rebanho leiteiro de alta produção

Natália Sobreira Basqueira et al.
2017 Revista Acadêmica  
Detecção de animais persistentemente infectados (PI) para o vírus da diarreia viral bovina (BVDV) em rebanho leiteiro de alta produção [a] Resumo A diarreia viral bovina (BVD) possui importância econômica mundial devido às perdas produtiva e reprodutiva ocasionadas pela doença. A infecção pelo BVDV não citopático em vacas imunossuprimidas, entre 40 e 142 dias de gestação, resulta em 100% de infecção fetal e bezerras PI. As bezerras PI's representam a principal fonte de infecção no rebanho. O
more » ... ão no rebanho. O objetivo deste trabalho é descrever as etapas para a detecção de animais PI's em um rebanho leiteiro de alta produção. A triagem dos PI's foi realizada em propriedade situada no estado de São Paulo, com aproximadamente 3.700 animais da raça Holandesa, sendo 1.750 vacas em lactação e com produção média diária de 38,5 litros. Para a pesquisa de PI, foram colhidas amostras de tecido da extremidade do pavilhão auricular para a realização do teste imunoenzimático direto (Bovine Virus Diarrhoea Virus Antigen Test, Idexx). Na etapa 1 da pesquisa de PI, foram avaliados 2247 animais, contemplando-se a última geração de fêmeas, vacas em lactação que pariram apenas macho ou aquelas sem descendentes vivos. Dos animais testados na etapa 1, detectou-se 34 animais infectados, dos quais 19 eram bezerras com idade entre 0 a 12 meses, correspondendo a 1,95% do total de 974 animais nesse intervalo etário; oito animais eram novilhas com idade entre 12 e 24 meses, correspondendo a 1,14% do total de 702 animais neste intervalo etário; sete eram animais entre 24 e 36 meses, correspondendo a 3,06% dos 229 animais neste intervalo etário; os 342 animais restantes com idade > 36 meses eram todos negativos. Trinta fêmeas, dentre os 34 animais infectados da etapa 1, foram retestadas após 30 dias da primeira colheita com o objetivo de diferenciar infecção transitória e persistente. Os quatro animais não testados morreram por doença respiratória ou foram precocemente descartados. Nesta segunda etapa foi possível identificar que 19/30 animais (63,33%) repetiram o resultado positivo, sendo classificados como
doi:10.7213/academica.15.s02.2017.301 fatcat:5sq5ari2h5fsxcqk3htww7btry