Efeitos de exercícios aeróbicos aquáticos sobre a pressão arterial em adultos hipertensos: revisão sistemática

Natalia Santos, Roberto Costa, Luiz Kruel
2014 Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde  
Resumo A hipertensão arterial é um importante fator de risco cardiovascular, sendo o exercício físico reconhecido como tratamento não farmacológico de sujeitos com esta morbidade. No entanto, ainda são escassos estudos realizados no meio aquático. Dessa forma, o objetivo do presente estudo foi revisar sistematicamente os efeitos agudos e crônicos de exercícios aeróbicos aquáticos sobre a pressão arterial de indivíduos hipertensos. A busca incluiu as bases de dados PubMed, Embase, Lilacs e
more » ... ase, Lilacs e Scielo, sem restrição de idioma e com data de publicação até janeiro de 2014, além da revisão das referências nos estudos incluídos. Ensaios clínicos randomizados, não randomizados, estudos comparativos e casos-controles, verificando os efeitos dos exercícios aquáticos no tratamento da hipertensão, foram incluídos. Dos 83 artigos elegíveis, 15 foram incluídos. Os estudos foram publicados entre 1997 e 2014. No total, participaram dos estudos 377 sujeitos, com frequência de duas semanas a 12 meses nas intervenções crônicas e uma ou duas sessões nas intervenções agudas. A intensidade dos protocolos de treinamento variou de moderada a alta. Dos 5 estudos com intervenção aguda, 80% demonstraram redução da pressão arterial sistólica após a sessão de exercícios. Após o período de intervenção crônica, 80% dos 10 estudos incluídos demonstraram redução da pressão arterial, sendo 50,0% somente para a sistólica, 10% somente para a diastólica e 20% para ambas. Os resultados permitem concluir que exercícios aquáticos, sobretudo a hidroginástica, atuam positivamente na redução da pressão arterial, sendo uma alternativa eficiente para auxiliar no tratamento de adultos hipertensos. PalavRas-chave Hipertensão; Exercícios aquáticos; Natação; Hidroginástica; Corrida aquática. abstRact Hypertension is an important cardiovascular risk factor, being the physical exercise recognized as non-pharmacologic treatment of this comorbidity. However, there are still few studies on the aquatic environment. Thus, the aim of this study was to review systematically the effects of aquatic aerobic exercises on blood pressure in hypertensive adults. The search included the databases PubMed, Embase, Lilacs and SciELO, independent of language and publication date until 2014 January, besides reviewing the references in the included studies. Randomized controlled trials, non-randomized, comparative studies and case-control, checking the effects of aquatic exercise in the treatment of hypertension, were included. Out of the 83 eligible articles, 15 were included. The studies were published between 1997 and 2014. In total, 377 subjects participated in the included studies, with variability of two weeks to 12 months in chronic interventions and one or two sessions in acute interventions. The intensity of training protocols varied from moderate to high. Eighty percent of the studies with acute intervention, showed reduction in systolic blood pressure after the exercise session. After the period of chronic intervention, 80% of the studies demonstrated a reduction in blood pressure, being 50% only for systolic, only 10% for diastolic and 20% for both. The results indicate that aquatic exercise may be an effective alternative to help in the treatment of hypertensive adults.
doi:10.12820/rbafs.v.19n5p548 fatcat:zx4r7lzw3vatnighd75nigv74q