Dimorfismo sexual por meio de medidas lineares da escápula e sua importância para a Antropometria brasileira

Maria Julia Assis Vicentim, Luiz Francesquini Júnior, CRISTHIANE SCHMIDT, VIVIANE ULBRICHT, Graciele Dib Nunes Silva, Larissa Padovan, Lucas Del Vigna Pinheiro Peixoto
2017 XXV Congresso de Iniciação Científica da Unicamp   unpublished
Resumo Objetivos: realizar sete medidas lineares de 225 escápulas direitas, pertencentes ao Laboratório de Antropometria Física Forense da FOP UNICAMP, visando verificar se as mesmas são dimórficas e construir um modelo de regressão logística. Metodologia: Trata-se de um estudo observacional analítico transversal de 225 ossadas da coleção osteológica da FOP/UNICAMP. Estas possuem sexo, idade, ancestralidade e causa da morte previamente conhecidas antes da morte. Não se utilizou escápulas com
more » ... ou escápulas com fraturas ou doenças. Promoveu-se a calibração inter e intra examinador com índice ICC excelente. Para a realização das sete medidas nomeadas de A, B, C, D, E, F e G (A-comprimento máximo da cavidade glenoidal, B-largura máxima da cavidade glenoidal, C-ângulo superior da escápula -ângulo inferior, D-ângulo superior -ângulo lateral da escápula, E-ângulo lateral -ângulo inferior da escápula, F-borda mais equidistante do acrômio -ângulo superior da escápula e G-comprimento do acrômio). A análise estatística foi realizada com os testes de Kolmogorov-Smirnov e Levene e teste t não pareado. Resultado e discussão: Obteve-se que todas as medidas são dimórficas e foi possível construir um logito para a determinação do sexo [Sexo = -37.89 + (0.32 × A) + (0.36 × B) + (0.077 × C) + (0.074 × D)]. O índice de acerto foi de 88,1%. Embora, não seja o osso que mais chama a atenção na cena de um crime, este é sem dúvidas um osso importante para ser estudado, pois ele em determinada etapa da vida que nos permite estimar a idade e na fase adulta nos permite estabelecer o sexo com grande precisão. Acredita-se ser possível somar este estudo aos demais ossos do corpo humano, visando fornecer dados à Justiça mais fidedignos e confiáveis. Conclusões: Foi possível concluir que a escápula permite a determinação do sexo em indivíduos adultos na população brasileira. Palavras-chave: identificação humana, antropologia forense, dimorfismo sexual.
doi:10.19146/pibic-2017-78186 fatcat:rmgh3kqvsvdhnfmlzucj27ayfy