Artigo Original Efeito da intensidade do exercício sobre a oxidação de carboidratos e gorduras durante a recuperação pós-exercício em diabéticos tipo 2 Effects of exercise intensity in fat and carbohydrate oxidation during post-exercise recovery in type 2 diabetes

Laila De, J Lima, Gisela Arsa, Daisy Motta, Wesley De Almeida, Ricardo Asano, Marcelo Sales, Carmen Campbell, Gislane De Melo, Herbert Simões, Laila Lima
2011 Oxidação de carboidratos e gorduras em diabéticos R. bras. Ci. e Mov   unpublished
RESUMO: Indivíduos com diabetes tipo 2 apresentam alterações na utilização de substratos energéticos em repouso e durante o exercício, como capacidade reduzida de utilização de carboidratos e síntese de glicogênio muscular, acentuando a hiperglicemia e a resistência à insulina. Estudos têm demonstrado que o exercício pode ser efetivo no controle e tratamento do diabetes tipo 2, porém o efeito de diferentes intensidades de exercício sobre a contribuição de carboidratos e gorduras durante a
more » ... ras durante a recuperação ainda não foi elucidado. Participaram do estudo 20 indivíduos sedentários, divididos em 2 grupos, sendo 9 diabéticos tipo 2 (DB) (2 mulheres) e 11 não diabéticos (ND) (2 mulheres), os quais foram submetidos a 3 sessões experimentais: Teste incremental máximo (TI), seguido de sessão de exercício submáximo realizado a 90% da carga do limiar de lactato (90%LL) e sessão controle (C) sem a realização de exercício, estas duas últimas em ordem randomizada. Em todas as sessões experimentais, os participantes permaneceram em repouso durante 20 min antes do inicio das sessões, bem como por 135 minutos durante o período de recuperação pós-exercício ou controle para a mensuração das variáveis ventilatórias, sendo que aos 45 minutos de recuperação uma solução de carboidrato (CHO) foi administrada. Ambos os grupos apresentaram elevada oxidação de carboidratos durante as sessões de exercício máximo (TI) e submáximo (90%LL) quando comparado aos valores de repouso (p<0,05). A oxidação de gorduras ficou elevada durante o período de recuperação do TI em ambos os grupos (p<0,05), contudo, no grupo DB, essa alteração se prolongou por um maior período de recuperação. Por outro lado, durante a recuperação do exercício submáximo, somente o grupo ND apresentou oxidação de gordura elevada após 60 min de recuperação. Diabéticos tipo 2 apresentam melhor oxidação de gordura após exercício máximo (TI) comparado a exercício submáximo. DB apresentam menor utilização de gorduras comparado aos ND após exercício submáximo. Dessa forma, o exercício máximo (TI) eleva a oxidação de gorduras, especialmente em DB, podendo resultar em efeitos positivos para a saúde, como maior sensibilidade a insulina e equilíbrio metabólico. No entanto, recomenda-se que a utilização dessa intensidade em diabéticos seja empregada mediante monitoramento contínuo de varáveis hemodinâmicas e metabólicas. Palavras-chave: Diabetes Mellitus tipo 2; Efeito agudo do exercício; Oxidação de substratos. ABSTRACT: Individuals with type 2 diabetes (DB) have changes in energy substrate utilization at rest and during exercise, with less use of carbohydrate and muscle glycogen synthesis, emphasizing the hyperglycemia and insulin resistance. Exercise can help control and treatment of type 2 diabetes, but effect of different exercise intensities on the carbohydrates and fats contribution during recovery has not yet been elucidated. Participated in the study 20 sedentary individuals, 9 individuals (2 women) with type 2 diabetes (DB) and 11 (2 women) without diabetes (ND), underwent three experimental sessions (SE): maximal incremental test (IT); submaximal exercise, 90% of the load of the lactate threshold (90% LL) and control (Cont) or without exercise (the latter two session in randomized order). In all the SE, the participants were at rest (pre-exercise) for 20 minutes and 135 minutes during the post-exercise for measurement of ventilatory variables, and the 45-minute of recovery the volunteers were given a carbohydrate solution was given. The results showed that both groups had high carbohydrate oxidation during exercise of high and moderate intensity compared with rest (p <0.05). The fat oxidation was higher during the recovery of IT in both groups (p <0.05), and longer in the DB. On the other hand, during recovery from moderate exercise, only ND had higher fat oxidation after 60 min of recovery. In conclusion individuals DB have a better fat oxidation after high-intensity exercise than moderate exercise. DB had less fat oxidation than ND after moderate exercise. Thus, the high-intensity exercise increases fat oxidation, especially in DB, also result in improved insulin sensitivity and metabolic balance. However, it is recommended that the use of this intensity is used in diabetic patients by continuous monitoring of hemodynamic and metabolic variables.
fatcat:fwmlxtrfxvfcblx4vx5b3z77fy