Uma relação possível entre os inclassificáveis e a modernidade líquida

Talita Noronha Alves, Juliana Fonsêca de Almeida Gama
2021 Revista Polis e Psique  
Psicanálise e sociologia sempre caminharam juntas, pois compõem partes de um todo que formam as sociedades. Freud cria a psicanálise e as estruturas clinicas como conhecemos hoje. Contudo, apenas com Lacan a psicose foi melhor elucubrada teórica e clinicamente. Depois, com Miller e a "formalização" do termo "psicose ordinária", em 1998, eis os "inclassificáveis", que escampam às normatizações freudianas. Na sociologia, Bauman cunha o termo "Modernidade Líquida", na qual novas formas de
more » ... formas de manifestação dos sintomas são elaborados, e cuja explicação pode ser ensaiada pela nova multiplicidade de referenciais, diante dos quais os sujeitos se veem convocados a produzir um sinthoma que lhes supra o antigo universal Nome-do-Pai. A partir desta relação, pretende-se discutir quais as relações entre a pós modernidade de Bauman e as novas formas de amarração dos sujeitos, através de revisão bibliográfica das obras de Freud, Lacan e Miller na psicanálise; e de Zygmunt Bauman, na sociologia.
doi:10.22456/2238-152x.104744 fatcat:6aq5gddnl5efnpzbnwycxjh774