O escriba e o narrador: a memória e a luta pela terra dos ribeirinhos do Alto Tapajós

Maurício Torres
2014 Tempo Social  
A memória dos povos da floresta é obstáculo efetivo à grilagem de terras na Amazônia. Isso se dá por dois principais motivos: primeiro, porque oralmente (no mais das vezes), a memória faz vir à tona uma "história subterrânea" dos territórios grilados e desmente o constructo da "versão oficial", documental, surgido na química fantástica dos fóruns e cartórios. Em segundo lugar, porque a memória social desses grupos - edificada sobre o passado, mas renovada no tempo presente - legitima a ordem
more » ... ial local. Minar-lhes a memória significa um grande passo no êxito da expropriação praticada pela grilagem.
doi:10.1590/s0103-20702014000100014 doaj:98b1ed0b2b3d477fb4378c733577420f fatcat:fb3z6zz4zzctdhanwkaqgj6e2i