A formação do professor para os anos iniciais do ensino fundamental e a Geografia [thesis]

Leandra de Lourdes Rezende Amaral
AGRADECIMENTOS Primeiramente a Deus que me iluminou, fortaleceu e deu coragem para que frente às dificuldades não desistisse de continuar caminhando, e assim, me proporcionou a benção de concluir o mestrado mesmo diante dos reveses da vida. Ao meu orientador, professor doutor Tulio Barbosa, que humanamente me orientou, apoiou e motivou aos estudos e pesquisas para a conclusão do trabalho. Obrigada, acima de tudo, pela confiança. Às professoras doutoras Maria Beatriz Junqueira Bernardes (IG/UFU)
more » ... Bernardes (IG/UFU) e Amanda Regina Gonçalves (UFTM) pela visão crítica construtiva do trabalho, que muito contribuíram para sua conclusão. Ao meu querido esposo Luciano que de forma especial e carinhosa me apoiou nos momentos difíceis. Valeu a pena todo sofrimento e todas as renúncias. Obrigada pela paciência. Aos meus filhos Luiz Gustavo, Luan e Luana, que embora não tivessem conhecimento disto, iluminaram de maneira especial os meus pensamentos me motivando a alçar vôos mais altos em prol da construção do conhecimento. E não deixando de agradecer de forma grata e grandiosa meus pais, Romildo e Ana, pelo apoio, pela motivação e pelas orações. Ao Programa de Pós-Graduação em Geografia do Instituto de Geografia da Universidade Federal de Uberlândia, pela experiência que representou em minha vida acadêmica. Por fim, agradeço a CAPES pelo auxílio financeiro. "Ensinar conteúdos que não tenham utilidade no cotidiano do aluno tornou-se uma atitude antipedagógica." (DUARTE, 2010) RESUMO O presente trabalho efetivou-se com amplo questionamento referente à relação da formação do professor para os anos iniciais do ensino fundamental e a Geografia. Os caminhos metodológicos foram analisados de tal forma que, o próprio sentido de ensinar Geografia é verificado pelo direcionamento processual da avaliação e como esta pode ou não contribuir para a condição em empreender a crítica de forma permanente. Apresentamos análises de atividades avaliativas aplicadas por uma escola da rede municipal de ensino de Uberlândia/MG, no ano de 2017, como avaliação oficial e contrapomos o mesmo com as concepções da avaliação formativa. A pesquisa encaminhou-se numa abordagem qualitativa utilizando do método de análise de conteúdo, fundamentando-se na perspectiva pedagógica histórico-crítica, por compreender que as aproximações teóricas viabilizam condições reflexivas para questionarmos a estruturação do ensino de Geografia e sua resultante nas avaliações das escolas municipais de Uberlândia/MG. Concluímos que, enquanto há o distanciamento do curso de Graduação em Pedagogia com a Geografia por um lado, do outro está à ineficiência dos cursos de licenciatura em Geografia em tratar pedagogicamente os anos iniciais. De fato, a Geografia carece de reflexões sobre processos avaliativos, principalmente em análises de atividades avaliativas com os conteúdos geográficos. Deste modo, é necessário repensar a formação de professores no Brasil.
doi:10.14393/ufu.di.2018.906 fatcat:7omfowdlizcu3gyd4f7cfkoacy