A hipótese dos territórios qualificantes no trabalho com informação

Leonora Corsini
2010 InCID Revista de Ciência da Informação e Documentação  
Resumo O artigo trata das novas dinâmicas produtivas e configurações do trabalho que caracterizam o que vem sendo designado como trabalho cognitivo, um tipo de trabalho que tem como principal suporte as redes e relações tecidas no território metropolitano. Examinamos essas novas configurações em articulação com a hipótese dos "territórios qualificantes", lugar onde novas competências são modeladas a partir das ações e das experiências do trabalho cognitivo em rede, competências estas que
more » ... m para o território na forma de serviços que têm como elementos centrais a inteligência colaborativa, a criatividade e a inovação. Com base nessas premissas, iniciamos um estudo de caso que teve como objeto o trabalho dos técnicos prestadores de serviço em informática, os quais, com seus diferentes níveis de formação e especialização, são fundamentais para o desenvolvimento do trabalho cognitivo no âmbito das metrópoles. Os resultados preliminares indicaram que entre os técnicos de informática predomina a combinação de dois modelos de trabalho: autônomo e assalariado, modelos que se alimentam reciprocamente e estabelecem uma relação de mão dupla. Pudemos igualmente confirmar a conexão entre as novas tecnologias e linguagens, o trabalho em rede, as novas dinâmicas produtivas, e a possibilidade de aprender a partir da instabilidade e das constantes mutações que caracterizam o meio informático, podendo fazer isto coletivamente, nos marcos da cooperação e da comunicação. Abstract The paper addresses the new productive dynamics and labor configurations characteristic of the so called cognitive labor, which has the networks and relations built in the metropolitan territory among its main support. We examined these new configurations in articulation with the thesis of the "qualifying territories", the place where new competences are modeled and return to the territory in the form of services that hold among their central elements the collaborative intelligence, creativity and innovation. Departing from these assumptions, we initiated a case study focusing the self employed digital workers who bear varied levels of education and specialization, regarded as fundamental agents for the development of the cognitive labor in contemporary metropolises. Preliminary results indicate predominance among these workers of a mix of two regimes of labor: autonomous and salaried, coextensively establishing a bilateral relationship. We could equally confirm the connection between new technologies and languages, collaborative networks, new productive dynamics and the possibility of learning from instability and constant mutations that characterize the informatics environment, rendered possible through the collective action, in the marks of cooperation and communication.
doi:10.11606/issn.2178-2075.v1i2p89-102 fatcat:vdnkt5z5izeqfduwwm5ceyhdnq