Avaliação morfo-funcional cardíaca em jovens normotensos, filhos de hipertensos. Estudo Doppler-ecocardiográfico prospectivo

Cristina Maria Sousa de Almeida, Aristarco Gonçalves de Siqueira-Filho, Maurício Bastos de Freitas Rachid, Jamil Rachid, César Selem Kamel
1998 Arquivos Brasileiros de Cardiologia  
Purpose -Evaluate functional and/or structural cardiac changes in young normotensive subjects with a family history of hypertension. Methods -Prospective study was performed with 62 normotensive persons, ages 15 to 30 years, divided in 32 children of hypertensive patients (group 1) and 30 children of normotensive persons (group 2) comparable in blood pressure, body surface area, heart rate, age and sex. After clinical examination, all underwent Dopplerechocardiogram to evaluate cardiac
more » ... and left ventricular (LV) systolic and diastolic function. Results -Systolic LV fractional shortening was increased in group 1 when compared with group 2 (38.03±4.95% and 34.7±4.48%, respectively -p<0.01). Mitral deceleration time (DT) ranged from 85 to 160msmean values 116.47±16.99ms -in group 1 and from 100 to 220ms -mean values 126.73±26.66ms -in group 2 (p<0.05). A correlation between LV mass and left atrium (LA) diameter was noted in group 1 (r = 0.514, p<0.01). Conclusion -Children of hypertensive patients show increased LV function, similar to what occurs in early hypertension and in borderline hypertension, even when there is no evidence of LV hypertrophy or high blood pressure. Mitral DT (shorten in group 1) was the only diastolic parameter that differed in the groups. The correlation between LV mass and LA dimension suggests that LA size could be related to functional and hemodynamic LV changes. Objetivo -Avaliar pelo Doppler-ecocardiograma alterações cardíacas, estrutural e/ou funcionais, que podem surgir nos jovens normotensos com história familiar de hipertensão arterial sistêmica (HAS). Métodos -Estudo prospectivo realizado com 62 jovens normotensos entre 15 e 30 anos, sendo 32 filhos de hipertensos (grupo 1) e 30 filhos de normotensos (grupo 2) comparáveis quanto à pressão arterial, superfície corporal, freqüência cardíaca, idade e sexo. Após exame clínico, todos realizaram Doppler-ecocardiograma para avaliar as estruturas cardíacas e a função ventricular esquerda (sistólico e diastólica). Resultados -A fração de encurtamento sistólico do ventrículo esquerdo (VE) foi significativamente maior no grupo 1 -valor médio de 38,03±4,95% -do que no grupo 2 -34,7±4,48 % (p<0,01). O tempo de desaceleração mitral (TD) variou de 85 a 160ms -médio de 116,47±16,99ms -no grupo 1 e de 100 a 220ms -médio de 126,73±26,66ms -no grupo 2 (p<0,05). Houve correlação entre o índice de massa do VE e o diâmetro do átrio esquerdo (AE) no grupo 1 (r= 0,514, p<0,01). Conclusão -Os filhos de hipertensos, quando comparados com filhos de normotensos, exibem exacerbação da função sistólica do VE, semelhante ao que ocorre na fase inicial da HAS ou na HAS "borderline", mesmo que não haja hipertrofia do VE ou aumento dos níveis pressóricos. O TD mitral (mais curto no grupo 1) foi o único parâmetro de função diastólica do VE que diferiu nos 2 grupos analisados. A correlação entre o índice de massa do VE e o diâmetro do AE nos filhos de hipertensos sugere que o AE se modifica de acordo com as alterações funcionais e hemodinâmicas do VE. A hipertensão arterial sistêmica (HAS) pode produzir diversas conseqüências funcionais e estruturais cardíacas 1 . Dentre elas, a hipertrofia ventricular esquerda (HVE) é fator de grande importância, porque está associada às mudanças hemodinâmicas e é, comprovadamente, um preditor independente de morbidade e mortalidade cardiovasculares 2-4 . A Almeida e col Avaliação cardíaca em filhos de hipertensos Arq Bras Cardiol volume 71, (nº 5), 1998
doi:10.1590/s0066-782x1998001100007 fatcat:ldpd7zrihzgmvhogfn3hz2v6r4