Variação no uso de conectores sequenciadores temporais em gêneros textuais narrativos produzidos em entrevistas sociolinguísticas

Maria Alice Tavares
2017 Caligrama: Revista de Estudos Românicos  
Este texto apresenta uma análise de uma variável discursiva, a sequenciação temporal de eventos, tomando como formas variantes os conectores e, aí e então. Os dados foram extraídos de narrativas de experiência pessoal e narrativas habituais produzidas em 24 entrevistas sociolinguísticas do banco de dados VARSUL, de Florianópolis (SC). O objetivo deste estudo é averiguar se esses gêneros narrativos, que podem ser diferenciados estilisticamente, influenciam o uso dos conectores e, aí e então. Os
more » ... e, aí e então. Os resultados mostram que aí, que tende a ser relacionado, pelos falantes, a contextos de interação informais, é favorecido na narrativa de experiência pessoal, um gênero que geralmente desperta maior envolvimento emocional e, assim, estimula a adoção de estilos informais. Em contraste, aí é desfavorecido na narrativa habitual, um gênero que tende a despertar menor envolvimento emocional, o que pode fazer com que o falante adote estilos menos informais. Os conectores e e então, estilisticamente neutros, são favorecidos na narrativa habitual. Este estudo trouxe evidências de que o controle de gêneros textuais pode ser bastante útil para a obtenção de conhecimentos mais acurados sobre a variação discursiva.
doi:10.17851/2238-3824.21.2.113-130 fatcat:luexxmcpsbfirp7k5nihkdzxgy