O PACIENTE GERIÁTRICO FACE À CIRURGIA

Ana Lúcia Magela de Rezende
1976 Revista Brasileira de Enfermagem  
RBEn/04 REZENDE, A.L.M. -o paciente geriátrico face à cirurgia. Rev. Bras. Enf.; DF, 28 : 38-47, 1976. As intervenções cirúrgicas em pacien tes de idade avançada foram muito tem po vistas com pessimismo. A velhice re presentava um obstáculo intransponível e desanimador à terapêutica cirúrgica. Os fenômenos próprios da senilidade eram encarados como entidades mórbi das, para os quais a ciência era impo tente. Com os progressos da geriatria, causa e conseqüência do aumento crescente da população
more » ... cente da população idosa, sobretudo em países de senvolvidos, as pesquisas recentes para o prOlongamento da vida útil do homem e a consciência da possibilidade da parti cipação efetiva do homem idoso na vida comunitária, abrem uma dimensão nova para grande número de indivíduos, antes relegados à marginalidade, à dependên cia e à caridade familiar e comunitária. O enfoque se desloca da senilidade como doença para considerá-la desgaste fisiológico, não só possível de ser esta cionado, mas regressível e, sobretudo, prevenível. Diante destas novas aberturas, as en tidades mórbidas do velho, que exigem tratamento cirúrgico perdem, pouco a pouco, suas características assustadoras. Paralelo a este processo, os avanços dos meios de diagnóstico, da cirurgia, da anestesia, dos recursos terapêutiCOS, as sim como o surgimento de metodologias que permitem identificar as necessidades peculiares, não só aos indivíduos de cer ta faixa etária, mas sobretudo, às indi vidualidades têm reduzido consideravel mente a mortalidade operatória em ge ria.tria. Convém entretanto, atentarmos para a nossa realidade. Nossa experiência co tidiana evidencia que a grande maioria de pacientes geriátricos admitida em nos�os serviços curúrgicos é carente des de a infância. As sub condições de vida, evidentemente, repercutem através dos anos, determinando fenômenos degene rativos precoces. Por esta razão, de pouco valor é a idade cronológica de um paci ente. Mais importante é atentar para a sua idade fisiológica. Tentamos neste trabalho, levantar os principaiS proble mas do paciente geriátrico face à ci rurgia. Não tivemos em nenhum mo mento, a ingenuidade de tentar esgotar o assunto ou de fornecer soluções pron tas. Desacreditamos em princípio, de lis tas de cuidados ou receitas que possam • Professora assistente da Escola de Enfermagem da UFMG . 38
doi:10.1590/0034-716719760001000005 fatcat:4o5ab3n3bradzir73iygcder4y