A lepra

Paulo de Godoy
1926 Revista de Medicina  
E' o assunto em foco. Felizmente' Miuito já se escreveu e falou. Até, mesmo, deu a sua\ opfoião o df* Cláudio Piriz... E talvez pôr isso mesmo, pôr muito se falar e pouco ajir, a lepra cm S. Paulo se avoluma e se radicaliza. Não só aqui. Tombem em outros estados. Mas é para |S. Paulo que afluem leprozos de todo d Brazil, tanjr dos pela esperança e a busca de melhores dia&' Mas logo se deziludem. E dispersam-se pela capital e pelo interior. Infiltram-se, silenciozamente, em todos os centros da
more » ... dos os centros da actividade humana. E esmolando e convivendo com os sãos, vão disseminando a moléstia. Escreveram Lustig e Galeoitti que a lepra é uma moléstia conlajioza de lenta evolução. "Não diretamente hereditária, mas se transmitindo pôr contajto direto de homem a homem, principalmente pelo secreto nazal, pela mosca (cfue hospeda o germe no intestino) -e mesmo outros insetos, pulga e percevejo. Qual seja a via de penetração do bacilo no corpo hwmano, não é ainda bem conhecida. Talvez atravesse a pele e a mucoza, especialmente da cavidade nazal O bacilo se encontra no sangue do feto e do recêm-nacido, provenientes de mãe contaminada" Pela concluzão desses dois ilustres palolojistas italianos se infere o perigo que corre a população com o crecer dessa moléstia'
doi:10.11606/issn.1679-9836.v8i41p1-3 fatcat:icrb6o2lfzcxzluxiyzp42wtxy