Análise do ambiente construído baseada na Avaliação Pós-Ocupação e na Análise Ergonômica do Trabalho

Iara Sousa Castro, Maiara Oliveira Batista
2014 XV Encontro Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído   unpublished
RESUMO Um ambiente construído inadequado pode ser consequência da distância entre projetista, usuários e suas atividades durante o processo projetual. Adotar uma abordagem participativa baseada nos métodos da Avaliação Pós-Ocupação (APO) e a Análise Ergonômica do Trabalho (AET) é um caminho para aproximar os atores. O objetivo deste artigo é mostrar que a APO e a AET podem trazer contribuições distintas e complementares na análise de um ambiente construído. Será apresentado um estudo de caso de
more » ... m estudo de caso de uma pesquisa de iniciação científica concluída. Trata-se de uma pesquisa de caráter qualitativo, do tipo estudo de caso com objetivo exploratório. Os instrumentos adotados para a realização da APO foram: poema dos desejos, mapeamento visual e questionário. Essa abordagem multimétodos ajuda a confirmar algumas informações ou a ampliar o conjunto de informações relevantes sob o ponto de vista do usuário. Em relação à AET, foram realizadas observações, verbalizações e validações, sob a ótica da atividade. Enquanto o primeiro grupo instrumentos evidencia as necessidades dos usuários, o segundo grupo evidencia as demandas das atividades. Os resultados da análise mostraram que o ambiente construído nem sempre é percebido e apropriado da mesma maneira pelos usuários: professores e alunos. Os instrumentos da APO permitiram sistematizar as diversas opiniões sobre aspectos técnicos, estéticos, funcionais e comportamentais. A AET permitiu compreender e explicar as divergências através da atividade realizada por cada usuário. Portanto, a APO e a AET revelaram-se complementares na análise do ambiente construído. A pesquisa apresentou a aplicação tradicional de métodos clássicos e já conhecidos. Contudo, procura-se explorar a utilização simultânea entre eles. Os métodos têm potencial para revelar experiências de uso importantes para repensar o projeto e podem ser utilizados como meios de estreitar a relação entre os projetistas (designers, arquitetos e ergonomista) e os usuários nos processos projetuais e, consequentemente, melhorar a qualidade dos resultados dos projetos. ABSTRACT An inadequate built environment may cause a consequent distance between the designer, users and their activities during the design process. Adopting a participative approach based on the Post-occupancy Evaluation (POE) and on the Work Ergonomic Analysis (EWA) is a way to approximate actors. The objective of this article is to show that POE and EWA can bring distinctive and complementary contributions to the analysis of a built environment. A case study carried out for an already completed scientific initiation research work is presented. That work is a qualitative research, a case study with exploratory purposes. The adopted instruments to accomplish the POE were: Wish poems, Visual cues and a questionnaire. This multi-method approach helps to confirm some information or enlarge the set of relevant information from the user's point-of-view. Regarding the EWA, observations, interviews and validations were made considering the activity. The first group of instruments emphasizes the needs of users, while the second group highlights the different demands of those activities. The analysis results show that a built environment is not always perceived and adjusted by the same way by users: professors and students. The POE instruments allowed systematizing several opinions on esthetic, functional and behavioral aspects. The EWA allowed understanding and explaining divergences via an activity carried 2101 http://doi.org/10.17012/entac2014.462 out by each user. Therefore, POE and EWA have revealed to be complementary in the analysis of a built environment. This research presents the traditional application of already known classical methods. However, we try to explore the simultaneous use among them. Those methods have potential for revealing important usage experiences to rethink design and can be used as means to narrow the relationship between designers (including designers, architects and ergonomists) and the users in the project processes and, consequently, improve the results of designs.
doi:10.17012/entac2014.462 fatcat:ydnlazdxabfajbcy6lqkrgapba