Palm, drums and berimbau. The African Cultural Heritage in the Work of Jorge Amado

Tiziana Tonon
2011 Mitologías Hoy  
Em toda a literatura de Jorge Amado sente-se o destaque que ele dá aos mistérios das ruas de Bahia, no poder dos encantados. Vim compreender realmente a verdade dessas afirmações ao mudar-me para Salvador, ao conviver com seu povo, com seus preceitos e segredos. Zélia Gattai, A casa do Rio Vermelho, 2001 Estas palavras de Zélia Gattai, esposa do escritor baiano Jorge Amado, podem bem introduzir o assunto da presente comunicação, na qual procurarei individuar a presença de alguns traços da
more » ... uns traços da herança cultural africana na obra do autor, com o intento de evidenciar, em particular, como os aspectos relacionados aos elementos míticos são por ele transpostos para a literatura. Jorge Amado sempre salientou a importante contribuição das tradições de origem africana na criação daquela cultura baiana "mestiça e sincrética" por ele constantemente exaltada. Cultura nascida da união de tradições que, vindas da Europa e da África, na Bahia foram juntando-se, para "abrasileirar-se": Aqui tudo se misturou: -todas as coisas estão misturadas nessa terra. Mais do que misturadas; fundidas uma nas outras, formando uma coisa nova, baiana, brasileira, Anjos e exus, o barroco e o agreste, o branco e o negro, o mulato e o caboclo, o candomblé e a igreja, os orixás e os santos, tudo misturado. (Amado, 1970: 79) A presença do elemento cultural afro-brasileiro destaca-se, como é óbvio, principalmente nos romances ambientados em Salvador, capital do Estado da Bahia, sempre denominada pelo autor "Cidade da Bahia" ou, simplesmente, "Bahia". É evidente, na obra amadiana, a importância que ele atribui à cultura popular que, na opinião de Jorge Amado, possui a capacidade de conquistar qualquer ser humano através de todos os sentidos, e isso acontece sobretudo graças aos elementos africanos, que têm enriquecido os valores importados pelos europeus com novos cheiros, sabores, cores e ritmos (Goldstein Seltzer, 2003: 81-85): Mitologías hoy 3 (otoño 2011) 55-64 Tiziana Tonon
doi:10.5565/rev/mitologias.40 fatcat:x7azdxy6zvd6plwfpgzl7e5zgm