A vida partidária portuguesa nos primeiros anos da Regeneração** 1. O CONTEXTO: A REALIDADE PARTIDÁRIA PORTUGUESA DURANTE A REGENERAÇÃO

José Sardica
1997 Análise Social   unpublished
A individualização das características da actividade partidária durante os primeiros anos da Regeneração, ou seja, durante a década fundadora de 1850, exige que, preliminarmente, se estabeleçam os traços mais distintivos dos agrupamentos políticos do século XIX português, a que só por comodi-dade pode atribuir-se o nome de «partidos». Assim, o que é que, em termos genéricos, se apura da natureza e práticas das formações político-partidárias da Regeneração a partir do cruzamento dos discursos
more » ... to dos discursos contemporâneos e da investigação historiográfica disponível? Há uns anos atrás, Eduardo Lourenço estabeleceu com alguma acuidade a diferença essencial entre os partidos oitocentistas, por um lado, e os par-tidos do século XX, por outro, quer na época da República, quer na actuali-dade. Dizia ele que no século XIX «os partidos que acolhiam ou suscitavam as candidaturas das notabilidades eram estruturas dúcteis, clubes de limitada clientela fidelizada, que quase nada têm de comum nem com o sistema partidário característico da República, em que o factor ideológico aguça o * Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa (UCP). ** O presente artigo resulta de uma reelaboração de parte do capítulo II da dissertação de mestrado do autor, complementada com outros elementos dispersos na parte central deste trabalho, intitulado A Regeneração sob o Signo do Consenso (A Política e os Partidos entre 1851 e 1861) e defendido na FCSH da Universidade Nova de Lisboa em Maio de 1997.
fatcat:vjgtznbdubashcreqqqhxycnie