Jean Cocteau: comunicação visual e imaginário mitopoiético

Maria Beatriz Furtado Rahde
2005 Revista Contracampo  
Numa obra plena de multifaces, Jean Cocteau (1889-1963) foi, sem dúvida, o grande poeta do século XX, tanto na literatura, no teatro, nas artes gráfico/ plásticas, como na arte visual cinematográfica. Cocteau sempre fez poemas de suas manifestações criativas, pelas quais perpassavam o imaginário mítico, os contos de fadas, a filosofia, com sua concepção do estético, do fantástico na comunicação visual e nas relações humanas. A Bela e a Fera, obra cinematográfica de sua autoria, com base no
more » ... a, com base no conto original de Madame de Beaumont estimula o espectador nesses elementos citados, pois, certamente ninguém melhor do que o autor conhecia o simbólico, a fantasia, a poesia das evocações imaginárias. Este texto busca refletir sobre a comunicação visual e a cultura mítica da cinematografia de Jean Cocteau, o poeta do surrealismo e do imaginário, na concepção deste conto de fadas filmado, buscando relações entre a modernidade e o imaginário mitopoiético de sua obra.
doi:10.22409/contracampo.v0i13.500 fatcat:gr4j7sqa2jgpvkgx3yngftszta