Qualidade da atenção pré-natal na rede básica de saúde do Brasil: indicadores e desigualdades sociais

Elaine Tomasi, Pedro Agner Aguiar Fernandes, Talita Fischer, Fernando Carlos Vinholes Siqueira, Denise Silva da Silveira, Elaine Thumé, Suele Manjourany Silva Duro, Mirelle de Oliveira Saes, Bruno Pereira Nunes, Anaclaudia Gastal Fassa, Luiz Augusto Facchini
2017 Cadernos de Saúde Pública  
O objetivo foi descrever indicadores de qualidade da atenção pré-natal no Brasil no âmbito do Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade (PMAQ-AB). Foram analisados número de consultas, situação vacinal, prescrição de sulfato ferroso, exame físico, orientações e exames complementares, com base no que se construiu como um indicador sintético de qualidade. Os dados foram coletados em 2012/2013 por meio de entrevistas realizadas por Avaliadores Externos do PMAQ-AB às 6.125 usuárias que fizeram
more » ... uárias que fizeram seu último pré-natal nas unidades de saúde da família. Durante o pré-natal, 89% fizeram seis ou mais consultas, mais de 95% atualizaram a vacina antitetânica e receberam prescrição de sulfato ferroso, 24% referiram ter recebido todos os procedimentos de exame físico, 60% receberam todas as orientações e 69% realizaram todos os exames complementares. Apenas 15% das entrevistadas receberam atenção pré-natal adequada, considerando-se todas as ações preconizadas, sendo significativamente maior a proporção de completude da atenção em gestantes com mais idade, de maior renda, na Região Sudeste, nos municípios com mais de 300 mil habitantes e com IDH no quartil superior. Persistem desigualdades sociais e individuais que podem ser objeto de ações de qualificação dos processos de trabalho das equipes.
doi:10.1590/0102-311x00195815 pmid:28380149 fatcat:nkxce22ev5h7jf34iydicy23fq