About the postponement of clinical discharges from an Integrated Continuous Care Unit (UCCI) for non-clinical reasons: nurses perception study

M. Carolina Monteiro, Osvaldo Santos, Maria do Céu Costa
2014 Journal Biomedical and Biopharmaceutical Research (BBR)  
161 Biomedical and Biopharmaceutical Research J o r n a l d e I n v e s t i g a ç ã o B i o m é d i c a e B i o f a r m a c ê u t i c a About the postponement of clinical discharges from an Integrated Continuous Care Unit (UCCI) for non-clinical reasons: nurses perception study Prorrogações dos internamentos em Unidades de Cuidados Continuados Integrados por motivos não-clínicos: a percepção de profissionais desaúde sobre factores sociais no processo das altas Abstract This study investigates
more » ... tudy investigates the perception of health professionals in Continuous Care Units (UCCI) regarding the occurrence (or none) of extension of clients' hospitalization for non-clinical reasons. The group was selected considering their proximity and continuous intervention in supporting the clinical discharges when declared by the physician. This is an exploratory study with a quantitative approach. In methodological terms, a self-completed questionnaire constructed with multiple-choice questions was used. This randomized, convenience sample population included 20 responding nurses. Results show the perceived predominance of family-order factors: 60 % of the nurses referred to poor or totally absent family support of users or its total absence (45 %). Following, perceived factors are economic reasons (29 %), including insufficient income (85 %), institutional reasons (29 %) for lack/absence of social responses (50 %), and very close figures for the limited ability of institutions to receive users coming from the UCCI network (45 %). Major structural reasons (65 %) are poor housing conditions and physical barriers to mobility (55 %). To contribute with appropriate solutions to the emerging scenario, this study should be further developed and applied to all nationwide UCCI to reflect and anticipate intervention strategies in continuous care. Resumo O presente estudo tem por objetivo conhecer a percepção dos profissionais de saúde quanto à existência, de factores não-clínicos que se revelem como obstáculos à concretização das altas, nas Unidades de Cuidados Continuados Integrados (UCCI), e que contribuam para o aumento do número de internamentos prorrogados, após alta clínica. Seleccionou-se o grupo dos enfermeiros considerando a sua intervenção contínua e de proximidade para apoio na alta, quando declarada pelo médico. Trata-se de um estudo exploratório, qualitativo, utilizando um questionário auto-preenchido, com perguntas de resposta múltipla, aplicado a uma amostra de conveniência, aleatória, composta por 20 enfermeiros. Nos resultados predominam factores de ordem familiar: 60 % refere o insuficiente ou mesmo a total ausência de qualquer suporte familiar (45 %). Seguem-se motivos económicos (29 %), nomeadamente a insuficiência de rendimentos (85 %), motivos institucionais (29 %) por inexistência/ ausência de respostas sociais (50 %) e, muito próxima, a limitada capacidade das instituições para receberem utentes da REDE (45 %). Os motivos estruturais são para a maioria a ausência de condições habitacionais (65 %) e as barreiras físicas à mobilidade (55 %). Visando contribuir para soluções adequadas ao cenário emergente, aconselha-se o aprofundamento deste estudo, aplicando-o a todas as UCCI do país, de modo a reflectir e antecipar as estratégias de intervenção em cuidados continuados. Palavras-chave: enfermeiros, cuidados continuados, prorrogação de internamento, protelamentos de altas clínicas, motivos não clínicos
doi:10.19277/bbr.11.2.87 fatcat:ifgiczodgffhjpw4i6yqff2q7e