A QUESTÃO SOCIOLINGUÍSTICA EM VIDAS SECAS

José Ferreira Lopes Neto
2021 Web-revista sociodialeto  
Sedimentada a ideia de que o mundo fora do sertão parece ser o ideal, Vidas Secas nos traz um momento reflexivo que transcreve a incessante busca do ser humano por uma vida melhor, um lugar onde ele possa sentir-se parte de um todo, parte do próprio local onde vive, e suas respectivas noções de bem-estar. O presente trabalho tem por objetivo ler a crítica social nas entrelinhas da obra descrita, de forma a evidenciar a vivência dos retirantes do sertão nordestino. Lugar este em que pouco se via
more » ... em que pouco se via ou falava, e o nada que lhes era oferecido ainda era dividido com o governo, o que lhes proporcionava uma vida ainda mais seca. Seguindo fundamentalmente os pressupostos teóricos de Bosi (1975), analisar-se-á a realidade baseada nas vidas secas da região nordeste, além da política engajada de Getúlio Vargas. Por meio de uma leitura crítico reflexiva foram levantadas as passagens que denotam uma literatura voltada para o aspecto social.
doi:10.48211/sociodialeto.v11i33.334 fatcat:cb4x2kn5e5e5pb424msq6tghbu