Testes informatizados para a avaliação psicológica e educacional

Marlene Alves da Silva
2011 Psico-USF  
A 1 tendência do desenvolvimento da informatização da avaliação psicológica é crescente no âmbito internacional e nacional. Essa ferramenta favorece em termos práticos e econômicos a atuação profissional, pois além de dispensar o uso do lápis e papel, a consulta ou aferições de manuais dos testes e a economia de tempo, não há necessidade de digitar dados e principalmente, reduz erros de mensuração, assim como, aproveita de forma plena os avanços da psicometria moderna, garantindo a
more » ... indo a confiabilidade dos instrumentos, sem afetar a validade e a precisão da avaliação. Convictas de que nesse novo formato será possível a utilização de testes dinâmicos e complexos que utilizem vários tipos de estímulos, como por exemplo, o visual e o sonoro, o tempo de reação, além de respeitar a heterogeneidade cultural, assim como a possibilidade de explorar toda a tecnologia oferecida em prol de situações específicas para a mensuração dos fenômenos e processos psicológicos do comportamento humano, Joly e Reppold organizam os textos de modo a oferecer um panorama, incentivar a pesquisa e internacionalizar a avaliação psicológica informatizada. Os treze capítulos, escritos por profissionais de Psicologia, referem-se a estudos desenvolvidos por meio de diversos enfoques teóricos e metodológicos, caracterizando como estudos independentes, porém relevantes para a compreensão mais aprofundada na área da avaliação psicológica informatizada. No capítulo inicial, Maria Cristina Rodrigues Azevedo Joly e Aline Christina Istome apresentam uma análise da literatura sobre como processa a avaliação psicológica e a testagem informatizada no Brasil. Ainda, descrevem os principais desafios e vantagens dessa avaliação. A seguir, conceituam a linguagem oral e oferecem os estudos na área. Assim, expõem a construção e estudos psicométricos de uma Bateria Informatizada de Linguagem Oral (BILO) destinada a avaliar a compreensão da linguagem oral em alunos da educação infantil ao quinto ano do ensino fundamental. Vários estudos foram realizados para adequação da bateria a nossa realidade e no momento 1 E-mail: alvesmarlene2002@yahoo.com.br encontra-se em sua terceira versão, com a pretensão de realizar pesquisas de validação em vários estados brasileiros. A neuropsicologia contemporânea têm oferecido avaliação e tratamento, principalmente em relação às operações capazes de regular o processamento de informação pelo cérebro ou as funções executivas, no segundo capítulo, Caroline Tozzi Reppold, Ana Cristina Pedron e Clarissa Marcelli Trentini, mostram uma breve revisão das funções executivas e os componentes dessas funções que podem ser avaliados por meio do Teste de Wisconsin de Classificação de Cartas (WCST) -versão computadorizada, como flexibilidade cognitiva e memória de trabalho, atenção seletiva e controle inibitório, planejamento e seleção de uma determinada ação. Descreveram o teste. Em suas considerações finais ressaltam a importância dessa avaliação e sugerem novas pesquisas. Cônscios da necessidade de estudos que apresentem a avaliação cognitiva das funções executivas e a sua relevância do desenvolvimento e do uso de testes computadorizados, Alessandra Gotuzo Seabra, Natália Martins Dias e Bruna Tonietti Trevisan trazem, no terceiro capítulo, seis instrumentos para avaliação das funções executivas, a saber, Teste de Stroop Computadorizado, para avaliar a atenção seletiva; Teste de Geração Semântica, para ajuizar o controle inibitório; Teste de Fluência Verbal (FAS), para mensurar a habilidade da fluência verbal; e os instrumentos em desenvolvido, Simon Task, para avaliar o controle inibitório e a memória de trabalho; Teste de Stroop para pré-escolares para aferir o controle inibitório e o Teste de atenção Contínua, também para verificar o controle inibitório e atenção sustentada. Ana Cristina Pedron e Caroline Tozzi Reppold, considerando a importância de avaliar os processos atencionais e o controle inibitório, descrevem no quarto capítulo, diversos instrumentos desenvolvidos, como, paradigmas que utilizam o efeito Stroop; avalia a dificuldade no processamento de informações simultâneas como significado conflitante; paradigmas 'go/no-go' e tarefas que medem o tempo de reação com interrupção sinalizada (stroop-signal reaction time -SSRT) que medem as falhas em mecanismos inibitórios. Os vários estudos mostram a importância
doi:10.1590/s1413-82712011000100014 fatcat:stctaw7fvbc5tmljrkrj7ymc6i