IMPLANTAÇÃO DE UM GRUPO DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE EM HANSENÍASE NA ZONA DA MATA MINEIRA

Cláudia Helena, Cerqueira Mármora, Fontes Liliany, Loures, Anna Campos, Sarchis, Miguel Nunes, Fam Neto
2017 Hansen Int   unpublished
Introdução: A hanseníase é uma doença infectocontagiosa, crônica e de evolução lenta que acomete pele e nervos periféricos. É uma doença que repercute de forma intensa no âmbito biopsicossocial do indivíduo acometido e seus familiares, justificando a necessidade de um grupo de apoio integrado e humanizado. Objetivos: Relatar a experiência de implantação de um grupo de educação em saúde em hanseníase em um centro de referência na Zona da Mata Mineira, Minas Gerais. Materiais e Métodos: O grupo
more » ... Métodos: O grupo iniciou como uma estratégia do projeto de extensão universitária "Atenção interdisciplinar aos pacientes em controle da hanseníase: uma proposta de educação em saúde", sob a coordenação do Serviço Social do Hospital Universitário, em 2003. Em 2010 foram inseridos novos profissionais pelo Programa de Residência Multiprofissional em Saúde do Adulto do Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora. Desde desse momento, o grupo acontece mensalmente, com a participação de uma equipe multiprofissional: educação física, enfermagem, farmácia/ análises clínicas, fisioterapia, nutrição, psicologia e serviço social; junto ao ambulatório de hanseníase da instituição. São realizados periodicamente capacitações dos profissionais envolvidos acerca de conhecimento, transmissão e controle em relação à doença, além de suas repercussões biopsicossociais. Também acontecem reuniões periódicas para se discutir cronograma, temas abordados e estratégias pedagógicas entre os profissionais envolvidos. Monitora-se o desenvolvimento do grupo através de registro de presença dos profissionais e usuários, número de participantes e temas abordados. Resultados: Anualmente são realizados 10 grupos de educação em saúde e capacitações de 15 profissionais de saúde envolvidos no grupo. A média de participantes é de 9 usuários, com idade média 54 anos, alguns com incapacidades instaladas pela hanseníase. Os temas mais discutidos foram relacionados à doença (tratamento, transmissão, cura, prevenção de incapacidades, reações hansênicas), suas repercussões (preconceito, direitos sociais, incapacidades físicas) e abordagens de saúde em geral (controle de diabetes e hipertensão arterial, medicamentos, qualidade de sono, exercício físico, nutrição, saúde do idoso). Alguns dos desafios encontrados nesse período são infraestrutura, assiduidade e inserção de novos participantes, capacitação dos profissionais em realizar atividade em grupo. Conclusões: A educação em saúde é reconhecida como uma estratégia eficaz na troca de informações e vivências entre os participantes, fortalece o desenvolvimento de técnicas de enfrentamento frente à doença e suas repercussões. Muitos desafios são enfrentados pelos profissionais, porém estes são superados pela necessidade de manutenção das atividades dos grupos visando o benefício oferecido aos participantes, entre eles, o conhecimento sobre a doença e o empoderamento dos usuários para enfrentar as diversidades causadas pela hanseníase. Palavras-chaves: hanseníase, educação em saúde, equipe de assistência ao paciente
fatcat:abdwbx5xvrc4jbafcpazcyibsa