Avaliação das Estratégias de Autoaprendizagem em Alunos de um Curso de Medicina em Belém – Pará

Irma Douglas Paes Barreto, Patrick Abdala Gomes, Ismari Perini Furlaneto, Bruno Barreto
2019 Revista Brasileira de Educação Médica  
RESUMO Introdução A Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP) é uma metodologia de ensino-aprendizagem que tem sido incorporada aos currículos das escolas médicas que priorizam o estudante no centro da discussão. O diagnóstico e a mensuração das estratégias de estudo e aprendizagem constituem um dos aspectos fundamentais à melhoria do processo de ensino-aprendizagem. Objetivo O estudo teve como objetivo identificar as estratégias do discente em desenvolver seu estudo autodirigido, avaliando a
more » ... ização de ferramentas úteis no contexto do seu ensino-aprendizagem. Metodologia Foi realizado um estudo transversal observacional descritivo e analítico, aplicando-se 348 questionários a alunos de um curso de Medicina, uniformemente distribuídos do segundo ao nono semestres. Os questionários, do tipo Likert, foram direcionados para investigar as estratégias utilizadas no estudo individual e sua percepção desses alunos em relação à aprendizagem. A análise estatística foi feita por diferentes métodos, de acordo com as variáveis e categorias observadas, e executada com auxílio do software BioEstat 5.45. Resultados com p ≤ 0,05 (bilateral) foram considerados significativos. Resultados A média de idade foi de 22,7 anos, com 57,3% de mulheres. A maioria mostrou hábito de estudo superior a três vezes por semana (72,2%), em lugares fixos, sobretudo na biblioteca (96,8%). A maioria dos alunos dispunha de recursos eletrônicos para acessar a internet. A maioria dos respondentes (43,6%) utilizou muito pouco o recurso de videoaula. Cinquenta por cento dos alunos julgaram fácil cumprir o horário de estudo e evitaram situações que desviavam sua atenção. Cinquenta por cento deles estudaram sozinhos todos os objetivos e mantiveram foco nos mesmos. O uso do mapa conceitual não foi frequente, mas a maioria elaborou esquemas durante o estudo. Para a maioria dos estudantes, a busca de artigos científicos no idioma inglês aconteceu apenas em 50% das vezes. Apenas 25% dos alunos fizeram "sempre" a síntese do estudo em forma de resumo. No mínimo 25% dos estudantes utilizaram mais de um livro-texto em seus estudos, e o acesso a artigos por meio de plataformas de bases de dados científicos ocorreu "sempre". Em relação ao uso de apostilas comerciais e resumos não próprios, até 75% dos alunos responderam que isso ocorre em aproximadamente "50% das vezes". A autopercepção da retenção do conhecimento, para 50% dos estudantes, ocorreu "cerca de 50% das vezes" ou com "muita frequência". Conclusão Alunos deste estudo que trabalham com a metodologia ABP utilizaram recursos apropriados para seu estudo, planejando e organizando sua aprendizagem. O hábito de planejar o estudo esteve positivamente associado às melhores estratégias de aprendizagem e à busca por fontes de melhor qualidade técnica, resultando em maior percepção da retenção do conhecimento pelo aluno. Como houve falhas nas estratégias de aprendizagem, sugere-se a criação de um guia de orientações de autoaprendizagem para auxiliar o aluno no desempenho de seu estudo.
doi:10.1590/1981-52712015v43n4rb20180190 fatcat:3i7u4hchbzadhpqfg7m3bxvw6e