O gozo da razão: elementos da ética sexual kantiana The reason's orgasm: elements of the kantian sexual ethics

Avelino Aldo, Lima Neto
unpublished
Resumo O presente trabalho pretende apresentar os elementos centrais da ética sexual kantiana, que se fundamenta em duas formulações do imperativo categórico: a Fórmula da Humanidade e a Fórmula da Lei da Natureza. Ao afirmar que o ato sexual é intrinsecamente objetificante, Kant aplica a primeira formulação; quando assevera que o fim natural do sexo é a procriação, recorre à aplicação da segunda. Ao condenar os crimina carnis, o filósofo utiliza ora uma, ora outra formulação para se
more » ... para se justificar, nem sempre sendo claro quanto ao verdadeiro fundamento condenatório. Para ele, o único meio no qual há possibilidade de vivência moral da sexualidade é o matrimônio heterossexual monogâmico, dado o respeito tanto à humanidade dos cônjuges quanto ao fim natural da preservação da espécie. O artigo assume, por fim, uma posição crítica em relação à ética kantiana e aos seus hodiernos interlocutores. Palavras-chave: Degradação. Dever. Fim natural. Humanidade. Objetificação. Sexualidade. Abstract This paper aims to present the central elements of the kantian sexual ethics, which is based on two formulations of the categorical imperative: the Formula of Humanity and the Formula of the Law of Nature. By stating that the sexual act is intrinsically objectifying, Kant applies the first formulation; when asserts that the natural end of sex is procreation, he appeals to the application of the second formulation. In condemning the crimina carnis, the philosopher uses sometimes one sometimes another formulation to justify itself, not always been clear about the true damning foundation. For him, the only way in which there is possibility of moral experience of sexuality is heterosexual monogamous marriage, given both the respect to humanity of spouses as to the natural end of the preservation of species. The article assumes, finally, a critical position in relation to kantian ethics and its hodiernal interlocutors. Dualismo, logocentrismo, teleologia, contratualismo: todos esses conceitos encontram-se presentes na obra de Kant como indicadores hermenêuticos, fazendo-nos crer que a gestação e o nascimento do sujeito kantiano correspondem, de alguma forma, à produção do indivíduo moderno, racionalizado e membro de uma comunidade política que procura justificação para a própria existência. A famosa revolução copernicana que o criticismo de Kant inaugurou, nesse contexto, rompe os limites da epistemologia e alcança as dimensões ética e política do seu pensamento, fazendo-nos perceber que 55 Avelino Aldo de Lima Neto n. 08 | 2012 | p. 53-76 56 1 O imperativo categórico, expresso inicialmente na Fundamentação, pela fórmula "age apenas segundo uma máxima tal que possas, ao mesmo tempo, querer que ela se torne lei universal" (KANT, 1960, p. 56), é a forma racional que, servindo como um mandamento para a vontade no exercício da razão pura prática, fará com que a conservação da vida do elemento moral seja efetivada. 2 Embora Kant use-as, nas discussões sobre o sexo, de modo indistinto, é possível e necessário estabelecer algumas diferenças entre tais categorias, em outros contextos (BORGES, 2004) .
fatcat:jithzzwqffho7g6rt3ov6aic6a