Práticas laborais de indígenas Galibi-Marworno e modos de medir: pesquisa em etnomatemática

Alarcidio Figueiredo Narciso, Eliane Leal Vasquez
2018 Science and Knowledge in Focus  
RESUMO: Este artigo registra os modos de medir que identificamos em algumas práticas laborais de indígenas Galibi-Marworno. Inicialmente, realizamos um levantamento de pesquisa em etnomatemática. Outros dados foram coletados como parte da pesquisa qualitativa, com aplicação de roteiro de entrevista temática a seis Galibi-Marworno. As entrevistas ocorreram na aldeia Kumarumã, no sítio chamado de Casa Velha e às margens do Igarapé Paramuaká, na Terra Indígena Uaça, localizada ao norte do Brasil.
more » ... o norte do Brasil. Os indígenas Galibi-Marworno usam um sistema de medida diferenciado que envolve medidas de comprimento, de largura, de espessura e de áreas de terrenos. As unidades de medidas documentadas neste estudo foram (braça normal de um homem, metro antigo, dedo, chave, palmo, polegada e braça marítima). Com base na análise das entrevistas, constatou-se que não existe convenção matemática entre essas unidades de medidas para o grupo pesquisado, o que se justifica porque cada coisa ou objeto pode assumir tamanhos diversos no processo de medição. As medições dependem do tipo de recurso natural e da parte do corpo humano que é usado no ato de medir. No Brasil, o Sistema Internacional de Unidades (SI) faz parte do currículo escolar e ele é ensinado à população urbana e rural nas escolas públicas, bem como aos povos indígenas. Mesmo assim, os indígenas Galibi-Marworno não usam as unidades de medidas do SI, em atividades da agricultura ou construções de canoas, casas, peças de madeiras e jamaxis.
doi:10.18468/sc.knowl.focus.2018v1n1.p39-56 fatcat:x3tse4icezfnhe5rbttzddaebq