A VIOLENCIA NO ESPORTE-UMA ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR Claudete dos Santos "* Jailda Santos ** Naildes Gongalves Ferreira ***

Amarillo Ferreira, Neto, Nelson Dagoberto De Matos, Antonio Roberto, Leite Correia
unpublished
A evolugäo histOrica do esporte, intrin-secamente relacionada corn a evolugâo social , mostra que ele nasceu de agOes das mais simples, autOnomas e mesmo grotes-cas, ate as formas sob as quais se nos apre-senta hoje: organizado, normatizado e evo-luido. Hoje como no passado, o esporte exerce urn poder de atragâo em adultos e criangas, ricos e pobres, quer sejam eles praticantes ou espectadores. So que o es-porte enquanto produgao coletiva de ho-mens determinados historicamente, nem sempre foi
more » ... cializado entre todos os agen-tes de sua produgbo, o que pressupOe dis-criminagâo de alguns muitos para a satisfa-gão de poucos. Os exemplos sac) numero-sos, como na Gracia, onde o acesso ao Gi-nasio bem como a participagäo nos Jogos Olimpicos era restrito a aristocracia, corn ex-cegâo da corrida de bigas onde urn escravo tomava o lugar de urn aristocrata por ser es-sa uma prova perigosa. Diferente nä° foi ern Roma, onde os gladiadores se matavam para deleite de uma casta de imperadores e agregados. Ja na sociedade inglesa industrial , a pi-Mica do boxe era privilegio dos operarios, que geralmente viviam na perife-ria dos centros em ascens5o: durante as lu-tas eram realizadas apostas entre os bur-gueses. (Sergio, 1976). A discriminagäo social aprimorou-se corn o decorrer do tempo, como no caso de Hitler, que utilizou o esporte para massificar a ideologia do estado ariano. Fato seme-lhante ocorreu no Brasil durante o "Estado Novo" e no pOs-64, quando a Educagbo Fi-sica e o esporte foram utilizados para elevar a capacidade fisica da populagâo brasileira que garantiria a seguranga nacional. Por este breve relato histOrico, pode-' se perceber que o esporte como manifesta-gâo social sempre foi acompanhado de di-versas formas de violencia, como reflexo do sistema social vigente. Nas iiltimas decadas, fatos como os que ocorreram em Munique, 1972; Heise!, Balgica, 1985; o caso Ben Jonhson, nas Olimpiadas de Seul, 1988 e Sheffield, Ingla-terra, 1989, tidos como acontecimentos de violéncia em si, mas que sac) na verdade consecOancias de relagOes sociais injustas prOprias do sistema capitalista, foram os fatores que motivaram a realizagâo deste artigo. Desse modo, este texto objetiva rela-cionar a violència no esporte corn os siste-mas sOcio-cultural, politico e econOrnico, numa visa° de totalidade. Entenda-se totali-dade "como urn todo real estruturado, dialati-co, no qual urn fato qualquer (classe de fa-tos, conjunto de fatos) pode vir a ser racio-nalmente compreendido". (Kosik, 1986:35). Nä° se pretende neste trabalho esgo-tar o assunto, dada a sua complexidade e profundidade, nem estabelecer interpreta-gOes definitivas, mas contribuir para o debate da questa°. II-SISTEMA SOCIO-CULTURAL E VIOLENCIA ESPORTIVA Ao iniciarmos este tOpico, rib° pode-riamos deixar de emitir conceitos sobre sis-tema sOcio-cultural e violancia. Entendemos sistema sOcio-cultural como urn sistema de interagao simbOlica (linguagem, crencas) e humana. (MEN-VONCA, 1983). De acordo corn VAZQUEZ (1977;374) "(...) a violéncia g exclaiva do homem, na medida em que ele é o Unico ser que para manter-se em sua legalidade propriamente humana necessita violar ou violentar cons
fatcat:hgdzpzisbrbnxm3onbj6gu22ze