Situação epidemiológica da malária no Estado do Tocantins, Brasil, a partir da emancipação política e administrativa, 1989 a 2009

Éldi Vendrame Parise, Gessi Carvalho de Araújo, José Gerley Díaz Castro
2012 Epidemiologia e Serviços de Saúde  
Artigo originAl Situação epidemiológica da malária no Estado do Tocantins, Brasil, a partir da emancipação política e administrativa, 1989 a 2009* Resumo Objetivo: o estudo objetiva descrever os principais indicadores epidemiológicos da malária no Estado do Tocantins, Brasil, e compará-los àqueles da Amazônia legal, entre 1999 e 2009. Métodos: foram utilizados dados secundários do Sistema de Informação de Malária (SISMAL) e do Sistema de Informações de Vigilância Epidemiológica da Malária
more » ... ca da Malária (SIVEP-Malária), da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde. Resultados: Tocantins registrou 5.679 casos de malária em 1989 e 129 casos em 2009; nesse período de 20 anos, a incidência parasitária anual diminuiu 94%; os casos importados predominaram sobre os autóctones durante toda a série histórica; o indicador de internações por malária permaneceu elevado; Plasmodium vivax foi a principal causa de morbidade. Conclusões: Tocantins se classifica como área de baixo risco para malária e assemelha-se à situação epidemiológica dos estados não Amazônicos; porém, em função dos casos importados, o esforço conjunto das instituições locais deve se manter ativo para detectar os primeiros sinais da doença e evitar o surgimento dos casos isolados. Abstract Objective: the study aims to describe the main epidemiological indicators of malaria in the State of Tocantins, Brazil, and compare it those of Amazon region data, from 1999 to 2009. Methods: descriptive analysis on secondary data of Malaria Surveillance System (SISMAL) and Malaria Epidemiological Surveillance Information System (SIVEP-malaria), Health Surveillance Secretariat, Ministry of Health. Results: Tocantins registered 5,679 cases of malaria in 1989 and 129 cases in 2009; in this period of 20 years, the annual parasite incidence decreased 94%; imported cases prevailed over indigenous ones throughout the historical series; the indicator of hospital admissions for malaria remained high; Plasmodium vivax was the major cause of morbidity. Conclusions: Tocantins is classified as low risk area for malaria, similar to the epidemiological status of Brazilian States not included in the Amazon region; however, because of imported cases, the joint effort of local institutions needs to continue active to detect early signs of the disease and to prevent new isolated cases.
doi:10.5123/s1679-49742012000100013 fatcat:wyr26xb2nzbl7bchd4bfca7cb4