Música na internet

Michel Nicolau Netto
2012 Música Popular em Revista  
As mudanças recentes na indústria da música gravada devem ser percebidas como a retirada da indústria fonográfica do centro de uma mais ampla gama de negócios que envolvem a exploração econômica da música. Essa descentralização levou muitos a entenderem como o fim do controle, a liberdade total ao consumo música, pois não haveria mais a gravadora e a loja física a filtrarem a oferta e o acesso. Nesse cenário, supôs-se que seria, então, o "povo" o novo detentor do poder, sendo que termos como
more » ... poderamento do povo" passam, então, a ser comum no mercado de música que circula pela internet. Contudo, quando olhamos o acesso a sites na rede e mesmo o consumo de produtos musicais, notamos que a abertura proclamada se reflete em um intenso afunilamento daquilo que é acessado. Ora, se as gravadoras perderam sua condição de filtrar aquilo que se ouve, como então se dá esse afunilamento? Tomando por base a ideia de micro-poderes de Foucault, pretendemos demonstrar que o poder praticado pelo usuário, no momento de sua navegação, leva justamente a esse cenário. Com isso, podemos notar que, em verdade, descentralização não significa ausência de controle.
doi:10.20396/muspop.v1i1.12879 fatcat:cmhsflcptvbjtaftm4iksnya54