Paciente com paralisa cerebral coreoatetoide: evolução clínica pós-intervenção

Carolina Castelli Silvério, Cristiane Soares Henrique
2010 Revista CEFAC  
OBJETIVO: verificar a eficácia da intervenção terapêutica na função de deglutição e na estabilidade clínica de crianças portadoras de paralisia cerebral (PC) coreoatetoide com disfagia orofaríngea. MÉTODOS: 11 crianças portadoras de PC do tipo coreoatetoide, com média de idade de três anos e três meses, que frequentaram terapia fonoaudiológica. Foram levantados os seguintes dados: escala de avaliação funcional da alimentação (Functional Oral Intake Scale - FOIS); grau de severidade da disfagia;
more » ... ridade da disfagia; broncopneumonias (BCP), hipersecretividade pulmonar e peso; consistência alimentar; sinais de penetração e/ou aspiração laringotraqueal. Os dados foram levantados no relatório de avaliação antes da intervenção terapêutica e no relatório final de evolução, no momento da alta. RESULTADOS: com relação à aplicação da escala FOIS, obteve-se que, tanto antes, quanto após a intervenção, a maioria dos pacientes encontrou-se no nível V da escala, com diminuição no segundo momento. Aumento dos pacientes nos níveis III e IV. Após intervenção terapêutica, houve diminuição de pacientes que ingeriam líquidos, aumento do uso do líquido espesso e do pastoso homogêneo. Houve diminuição da severidade da disfagia, redução dos episódios de BCP e de hipersecretividade pulmonar, aumento de peso e redução dos sinais de penetração e/ou aspiração laringotraqueal. CONCLUSÃO: a intervenção fonoaudiológica, dentro de uma equipe multidisciplinar em disfagia, em crianças portadoras de PC coreoatetoide promove deglutição mais segura e eficaz, com redução dos sinais sugestivos de penetração e/ou aspiração laringotraqueal, dos episódios de BCP e de hipersecretividade pulmonar, e aumento do peso.
doi:10.1590/s1516-18462010005000007 fatcat:zwghnizve5d7bei72naq5dlumy