Substituição Sensorial Visuo-Tátil e Visuo-Auditiva em Pessoas com Deficiência Visual: uma Revisão Sistemática

Josiane Pereira TORRES, Carolina Severino Lopes da COSTA, Gerusa Ferreira LOURENÇO
2016 Revista Brasileira de Educação Especial  
RESUMO: buscando conhecer a produção científica atual sobre substituição sensorial, o objetivo desse estudo foi analisar os métodos e dispositivos de substituição sensorial destinados a pessoas com deficiência visual que são apresentados em pesquisas empíricas no formato de artigos científicos. Trata-se de uma revisão sistemática da literatura cuja fonte de dados foram artigos publicados em periódicos disponíveis online na base de dados Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de
more » ... Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, nas línguas portuguesa e inglesa, nos últimos cinco anos. Os descritores usados foram: substituição sensorial, substituição visuo-tátil, substituição sensorial visuo-auditiva e seus correspondentes na língua inglesa. As buscas retornaram 186 artigos. Após a seleção a partir da leitura do título e resumo restaram 11 artigos considerados como amostra final da revisão. A revisão reportou apenas artigos internacionais. Foram identificados alguns métodos e dispositivos de substituição sensorial, nos quais a maioria propõe avaliações desses dispositivos em situações de navegação em diferentes espaços e identificação de barreiras e obstáculos no ambiente. Exceto por um artigo, os demais realizaram suas investigações em situações ideais de laboratório. Os resultados dos estudos são, na maioria, de natureza quantitativa, nos quais as percepções dos usuários com deficiência visual não são consideradas, em contrapartida o foco é direcionado para validar a eficiência do dispositivo de substituição sensorial. Considera-se necessário aprofundamento de pesquisas na área abrangendo outras fontes como teses e dissertações. Ressalta-se a necessidade do investimento em estudos sobre esse tipo de recurso de modo a favorecer o acesso da população com deficiência visual.
doi:10.1590/s1413-65382216000400010 fatcat:kgerhc4l4rbjlmciadupiujppy